A gestão financeira é muito importante para a sobrevivência das empresas. Um fluxo de caixa mal feito, um cálculo errado sobre a necessidade de capital de giro e o mal entendimento do resultado organizacional podem colocar em risco a saúde financeira da sua empresa. Por isso separamos alguns tópicos importantes que você deve prestar atenção se for o responsável pelas finanças do seu negócio.

1. Gestão de fluxo de caixa

O fluxo de caixa faz a gestão financeira e projeta entradas e saídas de dinheiro para o futuro. Nesse fluxo são inseridas informações de entrada e saída de dinheiro do negócio conforme elas acontecem. Através dessa ferramenta é possível unir as informações necessárias para a tomada de decisões, pois é possível saber a lucratividade, a rentabilidade, o ponto de equilíbrio e o prazo para retorno sobre investimento do negócio. Comentamos sobre esse assunto com mais profundidade no webinar!

2. Gestão de investimento em capital de giro

O Capital de Giro é o dinheiro utilizado para que a empresa de continuidade as suas operações. Esse recurso financia os clientes, no caso de vendas a prazo e também os fornecedores, no caso do pagamento da matéria prima ser adiantado. Além disso, esse dinheiro é utilizado para o pagamento de impostos, salários e outros cursos operacionais da empresa. Quando não calculado corretamente, ou quando o valor exato do capital de giro não é conhecido, podem haver erros que prejudicam a saúde financeira da empresa. Esses erros podem ser prazos muito longos para os compradores ou mais vendas feitas a prazo do que a capacidade da empresa. O capital de giro é importante para definir a quantidade máxima de contar a receber que a empresa pode ter e também seu estoque máximo. Também tocamos nesse assunto no nosso vídeo, clique e saiba mais.

3. Margem de contribuição e Ponto de Equilíbrio

Os conceitos de margem de contribuição e Ponto de Equilíbrio estão ligados. A margem de contribuição é o que sobra da receita sobra depois de os custos fixos serem pagos. E o ponto de equilíbrio é a quantidade que precisa ser faturada para que todas as contas sejam pagas, ou seja para a empresa não dar nem lucro, nem prejuízo. Ambos os conceitos são importantes para entender a sustentabilidade e a continuidade do negócio, uma empresa que fatura menos do que precisa para pagar as contas, não terá uma vida muito longa.

4. Resultado Operacional

O Resultado Operacional é um dos dados obtidos através do demonstrativo de resultados. Ele é o lucro obtido depois de descontados a receita líquida de vendas, o custo da mercadoria, as despesas com salários, despesas administrativas, despesas financeiras e outras despesas operacionais.

5. Saúde Financeira x Lucro

Lucro é uma quantidade de dinheiro que sobra depois de todos os custos de produção e administrativos serem pagos em um período específico. Uma empresa com saúde financeira, por exemplo, não tem lucro em apenas um período, mas em uma quantidade maior, mostrando consistência em seus resultados.

Para conseguir calcular corretamente esses indicadores discutidos, deve-se conhecer todos os custos do negócio (custos com matéria prima, despesas com folha de pagamento, entre outros). Esse controle normalmente demanda tempo, e para facilitar o seu trabalho, você pode utilizar um sistema de ERP. O Arquivei pode lhe ajudar a calcular grande parte desses custos de uma forma simples e sem perder muito tempo. Através de notas fiscais, você consegue fazer o download de relatórios em excel que podem facilitar sua vida na empresa. Esse sistema conta com um preço acessível e está disponível para empresas de todos os tamanhos.

Matéria: https://arquivei.com.br/blog/o-que-todo-empreendedor-de-sucesso-deve-saber-sobre-gestao-financeira/

Avalie a Matéria

Comente

Comentários