Obrigações tributárias: Conheça cinco principais impostos pagos pela sua empresa

0

A obrigação tributária é um dever do contribuinte, responsável ou terceiro em função da lei.

O sistema de obrigações (pagamento de impostos, taxas e contribuições) brasileiro é regulado pela Constituição Federal; pelo Código Fiscal Brasileiro; por leis complementares e ordinárias; além de resoluções do Senado e leis estaduais e municipais.

Por isso, ao abrir uma empresa vai muito além de desenvolver uma atividade: é preciso entender como funcionam essas obrigações, pois, o cumprimento dos prazos garantem que o seu empreendimento esteja em conformidade com o governo e os órgãos fiscalizadores.

Então, o primeiro passo é saber quais são as obrigações de sua empresa com o governo e entender cada uma delas para, por último, colocar em prática. 

Existem diversos tributos e obrigações, que devem ser cumpridas anual, mensal ou semanal pelas empresas.

Nestes casos, além de conhecê-las, um profissional de contabilidade também pode te auxiliar.

Para te ajudar, elaboramos esse artigo com as cinco principais obrigações tributárias voltadas às micro e pequenas empresas.

Então, continue acompanhando esse artigo para conhecer cada uma delas e ver como funcionam. 

IRPJ

O Imposto de Renda Pessoa Jurídica se trata de um tributo cobrado sobre o capital produzido pelas empresas brasileiras.

O imposto está previsto no Art. 153 da Constituição Federal, que determina que o governo pode instituir tributos sobre “renda e proventos de qualquer natureza”.

É considerado o segundo imposto que mais contribui com a arrecadação da Receita Federal e seu valor é calculado conforme o regime de tributação escolhido, ou seja, o Lucro Real, Lucro Presumido e Lucro Arbitrado. 

No caso das empresas que optam pelo Simples Nacional, esse imposto é unificado com os demais, sendo pago por meio de uma guia mensal.

Diferentemente do Imposto de Renda da Pessoa Física, que precisa ser entregue anualmente, a versão para pessoa jurídica possui vários modelos de apuração. 

De acordo com a Instrução Normativa RFB nº 1700/2017, estas são as pessoas jurídicas e físicas obrigadas a pagar o IRPJ:

  • Pessoas Jurídicas: pessoas jurídicas de direito privado domiciliadas no Brasil, sejam quais forem seus fins, nacionalidade ou participantes no capital; filiais, sucursais, agências ou representações no País das pessoas jurídicas com sede no exterior; comitentes domiciliados no exterior, quanto aos resultados das operações realizadas por seus mandatários ou comissários no Brasil.
  • Empresas Individuais: empresários individuais constituídos pelo Código Civil; pessoas físicas que, em nome individual, explorem, habitual e profissionalmente, qualquer atividade econômica de natureza civil ou comercial com o fim especulativo de lucro, mediante venda a terceiros de bens ou serviços e pessoas físicas que promovem a incorporação de prédios em condomínio ou loteamento de terrenos.

CSLL

A Contribuição Social sobre Lucro Líquido é destinada ao financiamento da Seguridade Social, segundo a Lei 7689/88.

Trata-se de um tributo federal que precisa ser pago pelas empresas brasileiras, sendo devido por todas as pessoas jurídicas, ou que sejam equiparadas a elas.

Assim como o IRPJ, a CSLL é cobrada sobre o faturamento, por isso, para saber o valor do imposto é preciso verificar se a empresa é optante do Lucro Real e Lucro Presumido. 

Desta forma, o pagamento deve ser feito trimestralmente ou anualmente.

Vale ressaltar que as empresas optantes do Simples Nacional também pagam a CSLL, porém, está incluída junto aos demais tributos pagos neste regime. 

Designed by @katemangostar / freepik
Designed by @katemangostar / freepik

Cofins

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social incide sobre a receita bruta das empresas e também é voltada à seguridade social, conforme a Lei Complementar 70 estabelecida em 1991.

Esse tributo incide sobre PJs e empresas, sendo calculado a partir da receita bruta das instituições.

Assim, o pagamento deve ser feito pelas pessoas jurídicas de direito privado em geral, inclusive as pessoas a elas equiparadas pela legislação do Imposto de Renda.

No caso das empresas enquadradas no Simples Nacional, a Cofins também está acumulada em outros tributos. 

IPI

O Imposto sobre Produtos Industrializados incide sobre produtos nacionais e importados.

Desta forma, seu cálculo depende da alíquota e da transação realizada.

Vale ressaltar que esse imposto tem como objetivo estimular ou desestimular certos comportamentos de consumo, assim, pode ser alterado de acordo com a necessidade observada pelo governo, podendo ser aumentado, reduzido ou suspenso.

PIS

O Programa de Integração Social é utilizado no financiamento do seguro desemprego e concessão de abono aos trabalhadores brasileiros que são regidos pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas).

Foi criado por meio da Lei Complementar n° 7/1970 e alíquota do PIS que deve ser paga pelas empresas (Lucro Presumido) é de 0,65%.

Por sua vez, as empresas que são optantes do Simples Nacional também recolhem o PIS, mas o tributo está unificado a outros impostos na guia mensal. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda