OMS aprova uso emergencial da CoronaVac desenvolvida por empresa chinesa

0

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse nesta terça-feira, 01, que aprovou uma vacina Covid-19 feita pela Sinovac Biotech (SVA.O) para lista de uso emergencial, abrindo caminho para uma segunda vacina chinesa a ser usada em países pobres.

Uma lista de emergência da OMS é um sinal para os reguladores nacionais da segurança e eficácia de um produto e permitirá que a vacina Sinovac seja incluída no COVAX, o programa global que fornece vacinas principalmente para países pobres, que enfrenta grandes problemas de abastecimento devido às restrições às exportações indianas. 

O painel independente de especialistas da OMS disse em um comunicado que recomendava a vacina da Sinovac para adultos com mais de 18 anos.

Não houve limite máximo de idade, pois os dados sugeriram que é provável que tenha um efeito protetor em pessoas idosas.

O grupo de assessoria técnica da OMS, que começou a se reunir em 5 de maio, tomou a decisão após revisar os dados clínicos mais recentes sobre a segurança e eficácia da vacina da Sinovac, bem como as práticas de fabricação da empresa.

O Diretor-Geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, elogiou a mudança, chamando a vacina de segura e eficaz e ressaltando que seus requisitos de armazenamento fácil a tornam adequada para países de baixa renda.

“Agora é crucial levar essas ferramentas que salvam vidas às pessoas que precisam delas rapidamente”, disse ele em uma declaração.

Com a marca CoronaVac em algumas regiões, é a oitava vacina a ganhar tal lista da OMS para combater a Covid-19 e a segunda desenvolvida por uma empresa chinesa, após a aprovação em 7 de maio de uma vacina desenvolvida pela Sinopharm, apoiada pelo Estado.

Embora uma terceira vacina chinesa, produzida pela CanSino Biologics (6185.HK), tenha apresentado dados de testes clínicos, nenhuma revisão da OMS foi programada.

A Sinovac disse que forneceu mais de 600 milhões de doses de sua vacina na China e no exterior até o final de maio e mais de 430 milhões de doses foram administradas.

Foto: Reuters/Direitos reservados
Foto: Reuters/Direitos reservados

Grande Impulso

O aval é um grande impulso para a vacina da Sinovac depois que dados em testes clínicos mostraram uma ampla gama de taxas de eficácia.

A OMS disse que os resultados mostraram que preveniu doenças sintomáticas em 51% dos vacinados e preveniu estado grave e hospitalização em 100% da população estudada.

O Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas (SAGE) da OMS havia dito anteriormente que a eficácia da vacina em testes clínicos de Fase III em vários países variava de 51% a 84%.

A Indonésia disse em 12 de maio que seu estudo com 120.000 profissionais de saúde que receberam a vacina revelou que ela era 94% eficaz na prevenção da doença sintomática.

Em uma avaliação anterior, o painel SAGE descobriu que a injeção foi eficaz na prevenção de Covid-19 em adultos com menos de 60 anos, mas que faltavam alguns dados de qualidade sobre o risco de efeitos adversos graves.

Ele citou brechas de evidência na segurança durante a gravidez e na segurança e proteção clínica em adultos mais velhos, aqueles com doenças implicitas e avaliação de eventos adversos raros.

Os especialistas do SAGE, que emitem recomendações de políticas para os estados e diretrizes de dosagem, revisaram os dados clínicos da Sinovac no mês passado.

O presidente e executivo-chefe da Sinovac, Weidong Yin, disse em um comunicado que os testes clínicos forneceram uma “base científica sólida” para que a vacina fosse aprovada por mais de 40 países e pela OMS.

A China já distribuiu centenas de milhões de doses das vacinas Sinopharm e Sinovac no país e as exportou para muitos outros, especialmente na África, Ásia e América Latina.

Conteúdo traduzido da fonte Reuters por Wesley Carrijo para o Jornal Contábil