Os melhores investimentos financeiros de 2020

0

Estamos chegando ao fim de um dos anos mais difíceis vividos economicamente pela humanidade.

A última crise comparável à atual aconteceu em 1929, quando a bolsa de valores despencou, assim como no primeiro trimestre de 2020.

Desde então alguns investimentos se destacaram no cenário econômico e foram boas opções para investidores.

É o caso do Bitcoin, principal criptomoeda que existe, que registrou uma valorização em torno de 120% desde janeiro.

Para negociar o ativo, é necessário ter uma conta em uma exchange de criptomoedas.

Já na Bolsa de Valores, destacando uma empresa em específico, a Locaweb registou o maior aumento disparado desde janeiro e já rendeu 246% aos seus investidores.

“As empresas de tecnologia cresceram muito na pandemia, como é o caso das que operam também por e-commerce, como Magazine Luiza, que registrou um aumento de mais de 100% e a Via Varejo, que subiu 62%”, conta o analista técnico de investimentos, Rodrigo Cohen.

Entre os investimentos exóticos, o especialista ainda destacou os pertencentes as commodities agrícolas, que são contratos futuros negociados na bolsa de valores.

O milho valorizou mais de 100% e a arroba do boi gordo bateu 40%.

Já o Ibovespa, Petrobrás, Banco do Brasil, entre outros, devem fechar o ano negativados.

“Se você abater a inflação, até a poupança fecha o ano negativa. O exemplo clássico é a conta que fazemos com o que sobra no seu bolso em relação ao aumento dos preços. No início do ano você pode comprar uma cesta básica, no final do ano, com o mesmo dinheiro, como teve inflação, a cesta básica subiu de preço e você não pode mais comprar com aquele dinheiro que você tinha no início do ano. É isso que a inflação nos tira”, explica Cohen.

O especialista fez um ranking com os melhores investimentos do ano.

“A tabela anexa apresenta um comparativo entre o retorno de vários investimentos considerando que tenham sido realizados no primeiro dia útil de 2020. Percebe-se que muitos chegaram a dobrar o patrimônio do investidor”, finaliza.

Formado em engenharia elétrica/computação, Rodrigo Cohen virou trader em tempo integral em 2013, quando tirou seu certificado de analista técnico de investimentos e entrou para o mercado financeiro em 2000.