PAC/PJ: empresas são orientadas sobre informações que devem constar na ECF

A ECF tem como objetivo demonstrar a apuração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)

A área de Fiscalização da Receita Federal através do PAC/PJ (Programa de Apoio à Conformidade Tributária), tem orientado as empresas sobre a transmissão da Escrituração Contábil Fiscal (ECF) 2021. Esse documento deve ser entregue até o dia 30.

Diante disso, os gestores e contadores devem estar atentos às informações que devem constar nesta escrituração. Sendo assim, em caso de inconsistências no documento que tenha sido enviado no ano passado, o contribuinte é informado através do PAC/PJ.

Assim, veja a seguir como funciona esse programa e as orientações para fazer a transmissão da ECF de forma correta em 2021.

Entenda o PAC/PJ

Em julho, a Receita Federal lançou o PAC/PJ com  objetivo de ajudar pessoas jurídicas no cumprimento de suas obrigações tributárias, evitando, assim, riscos fiscais. Através dessa iniciativa, são realizadas ações prévias de orientação para incentivar a conformidade tributária, ou seja, criar oportunidades para as empresas se adequarem à legislação.

Desta forma, elas podem cumprir suas obrigações espontaneamente, sem que haja a necessidade da instauração de procedimentos de fiscalização e litígios que demorarão para serem resolvidos.

Para receber orientações através do PAC/PJ, não é necessário que haja uma adesão formal das empresas, basta que os contribuintes façam o acesso constante em suas caixas eletrônicas do portal e-CAC. 

Assim, a Receita Federal fará notificações em caso de haver a necessidade de regularização ou orientação sobre a transmissão das obrigações. 

Envio da ECF 2021

As pessoas jurídicas com registro de transmissão sem dados na ECF do exercício 2020, foram previamente comunicadas sobre dados representativos de receitas e de movimentação financeira. Essas informações que devem constar na ECF 2021, o que evita erros no preenchimento da escrituração e possibilitando a correta apuração de tributos. Fazendo o envio das informações corretas, a empresa não se expõe às ações de fiscalização, malhas ou outros controles fiscais.

Segundo a Receita Federal, a partir de cruzamentos automatizados com a base de dados da Receita Federal referentes ao ano calendário 2020, prestados pela própria pessoa jurídica (NF-e, escriturações do Sped) e por terceiros (DIRF, Decred, e-Financeira), foram expedidas Comunicações de Dados a Escriturar na ECF 2021.

Neste documento foram informadas às empresas, as receitas auferidas no ano de 2020 superiores a R$ 1.000,00 e/ou recebimento de recursos em contas correntes bancárias superiores a R$ 10.000,00. Além disso, estas empresas receberam em sua Caixa Postal os dados disponíveis nas bases da Receita Federal, relacionados aos valores relativos aos quatro trimestres de 2020. Dentre eles, estão: 

  • Notas fiscais eletrônicas (modelo 55)
  • Decred (informações de repasse por cartão de crédito)
  • Escrituração Fiscal Digital das Contribuições (valores de receita bruta)
  • Escrituração Fiscal Digital ICMS/IPI (valores de receita, com algumas deduções)
  • DIRF (pagamentos declarados por terceiros)
  • Movimentação bancária (recursos movimentados a crédito, excluindo-se operações indicadas)

Para acessar a sua Caixa Postal, tenha em mãos o certificado digital e informe no portal e-CAC. Essa plataforma está disponível no site da Receita Federal. Também foi indicada a lista de contas correntes, por banco e agência, para facilitar a verificação dos interessados diretamente nas instituições. Assim, as empresas podem verificar suas informações para garantir que a entrega da ECF em 2021 seja feita de forma correta. 

Porque devo enviar a ECF?

Essa é uma das principais obrigações tributárias acessórias das empresas que apuram o IRPJ e a CSLL. Através desse documento, são prestadas informações fiscais e econômicas à Receita Federal. Este ano, o prazo de entrega da ECF foi prorrogado para 30 de setembro, sendo assim, os contribuintes devem informar todos os fatos geradores que tenham ocorrido no ano de 2020.  

A alteração na data de entrega também atinge as empresas em caso de extinção, a cisão parcial ou total, a fusão ou a incorporação. Veja como ficou o novo prazo: 

  •  se a extinção, a cisão parcial ou total, a fusão ou a incorporação ocorrer no período de janeiro a junho: a entrega deve ser feita até o último dia útil do mês de setembro de 2021, 
  • se a extinção, a cisão parcial ou total, a fusão ou a incorporação ocorrer no período de julho a dezembro: a entrega deve ser feita até o último dia útil do 3º mês subsequente ao do evento. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.