Pacotes de viagens incluem passeios e vacina contra a covid-19, entenda

0

Após 16 meses do primeiro caso de covid-19 nos Estados Unidos, é possível ver que o uso de máscaras e o distanciamento social não é obrigatório em quase todos os ambientes.

Diante disso, as pessoas totalmente vacinadas podem abrir mão do uso. Isso é resultado da campanha de imunização, que já aplicou cerca de 264,7 milhões de doses, segundo o presidente Joe Biden. 

Diante do excesso de vacinas, os estados norte-americanos abriram a imunização para não residentes e estrangeiros. O objetivo inicial era auxiliar aqueles que se encontram no país e possuem condições de voltar ao seu local de origem.

No entanto, o país começa a ver uma espécie de turismo de vacinas nos últimos dias, devido à quantidade de pessoas que estão indo ao país com o objetivo de se imunizarem, enquanto a vacinação em seus países de origem ainda caminha lentamente. 

Turismo 

Esta oportunidade também foi observada pelas agências de viagem que começaram a comercializar pacotes turísticos que, além de passeios, inclui ainda a imunização.

A informação é de que Cuba foi o primeiro país a oferecer a vacina para estrangeiro. 

Situação parecida começou a acontecer na Rússia, porém, diante do número reduzido de vacinas a prioridade são os moradores, sendo assim, as fronteiras seguem fechadas para estrangeiros.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

No entanto, esta situação tem dividido opiniões, visto que a população se queixa principalmente da entrada de muitas pessoas no país, além das liberação de viagens durante o período de pandemia. 

De fato, a notícia sobre a aplicação de vacinas nos EUA se espalhou rapidamente e, latino-americanos começaram a viajar em busca da imunização.

Segundo dados recentes, a América Latina é uma das regiões mais afetadas pela pandemia. Somente no Brasil, são mais de 430 mil mortes. 

Brasileiros podem se vacinar?

Para aqueles que estão pensando em seguir essa tendência, vale lembrar que os brasileiros que pretendem entrar nos EUA, precisam cumprir quarentena em algum país que esteja autorizado a viajar aos Estados Unidos.

A exceção são estudantes brasileiros que estejam matriculados em cursos nos EUA. Além disso, a condição para a vacinação é ter em mãos um documento que comprove idade acima de 16 anos de idade, neste caso é necessário a presença de um responsável.

Também é necessário agendar hora para receber o imunizante, como tem sido feito no Brasil. 

Ainda não há dados oficiais sobre a quantidade de latino-americanos que viajaram aos EUA, visto que os turistas não declaram que receber a vacina seja o motivo de sua ida ao país.

Durante a última semana, a vacinação foi disponibilizada no aeroporto internacional de Miami e movimentou o local. 

No entanto, a informação inicial era que somente podem ser vacinados os funcionários locais ou as pessoas que residem e trabalham no estado da Flórida.

A primeira etapa dessa vacinação terminou na sexta-feira, dia 14, e será retomada no dia 1º de junho.

Para turistas em Nova York, a vacinação será disponibilizada em breve, assim, serão montados postos em vans que estão nos principais cartões-postais da cidade. 

Por Samara Arruda