Com a chegada da pandemia do Coronavírus no Brasil, muitos empresários tiveram que reinventar seus negócios para mantê-los vivos, mesmo durante a quarentena.

Depois da retomada de alguns setores, como o de bares e restaurantes, o desafio está sendo atrair as pessoas para os estabelecimentos no horário permitido.

Elencamos cinco empresas que se reinventaram no período de pandemia e que tiveram sucesso em suas ações.

Confira abaixo:

1. NewAge

NewAge, empresa originária de Denver, nos Estados Unidos e presente em mais de 60 países no mundo, chegou ao Brasil praticamente junto com a pandemia do coronavírus.

Com isso, Maurício Patrocinio e sua equipe local começaram a trabalhar para ter o início das operações com um pré-marketing.

Porém, em março, com a chegada da Covid-19 ao país, a equipe brasileira precisou usar a criatividade e a audácia no mundo dos negócios para rapidamente transformar o lançamento, que seria realizado em um grande hotel em São Paulo, em um evento 100% digital e mais assertivo para o novo momento.

Com uma operação 100% online e veloz, em menos de um mês impactou pessoas de todos os estados e economizou o valor de 2 milhões de reais no orçamento planejado lá no início de 2020. 

“Com a alteração, conseguimos abrir para o Brasil todo e nossa meta que era conquistar 280 consultores, se concretizou em mil, ou seja, quadruplicamos o resultado”, comemora Maurício Patrocínio, diretor geral da empresa no Brasil

2. O Pasquim Bar e Prosa

Bar localizado no coração da Vila Madalena, O Pasquim Bar e Prosa reabriu suas portas cumprindo com todos os protocolos autorizados pelo Governo do Estado de São Paulo.

Como o horário de funcionamento só foi permitido até às 17h, o estabelecimento inovou criando o projeto ‘Bar Office’ em suas dependências.

Durante o período das 11h às 17h é possível usar uma mesa para trabalho, com tomadas, internet e até reservar uma sala para reuniões via conferência.

Reinvenção durante a pandemia

3. Gazin Semijoias

Com o início da quarentena, a Gazin Semijoias precisou fechar todos os seus pontos físicos.

Com isso, a única alternativa era unir todas as forças em seu e-commerce.

A receita deu certo e a empresa contabilizou um aumento de 12% em seu faturamento previsto para o primeiro semestre de 2020.

Apenas nos primeiros seis meses do ano, atingiram a marca de 1 milhão e 400 mil peças vendidas, ultrapassando a meta de 1 milhão e 250 mil estipulada para o período. 

4. Vero! Coquetelaria e Cozinha

Na linha de se adaptar ao novo horário de funcionamento, o restaurante localizado em Pinheiros, em São Paulo, elaborou um cardápio de brunch para seus clientes. 

“Pensamos em alternativas para atrair nosso público ao Vero! a partir das 11h. O cardápio de brunch oferece aos nossos clientes uma forma diferente de começar o dia com nossa culinária já conhecida e drinks refrescantes.

Foi tudo preparado com muito carinho”, conta Humberto Munhoz, sócio da Turn The Table Brasil, empresa que gerencia o estabelecimento. 

5. Método Camila Silveira | Vendedores ou Vítimas

Camila Silveira é diretora da Câmara de Comércio de Angola e desenvolve um trabalho voluntário na formação de empreendedores locais.

Desde o primeiro momento onde houve restrições de fronteiras, ela precisou intensificar os ensinamentos de como não deixarem seus negócios desestabilizarem.

Inicialmente utilizou o Facebook, já que é uma rede que a maioria de seus alunos tem acesso.

“Depois conseguimos introduzir e ensinar a importância de utilizar o aplicativo Zoom, tal como todas as redes sociais antes ainda não utilizadas”, conta Camila.

Com isso, ela conseguiu atender, por semana, uma média de 200 pessoas com capacitação completa e torná-los aptos para o mercado com um aprendizado com mesma velocidade que qualquer outra parte do mundo tem acesso.