Paraíba disponibiliza vacina contra meningite para crianças e profissionais da saúde

A medida atende recomendação do Ministério da Saúde, devido às baixas coberturas vacinais.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) do estado da Paraíba está disponibilizando o uso temporário da vacina meningocócica C (conjugada) contra a meningite para o público não vacinado, na idade entre 5 e 10 anos e trabalhadores da saúde

A medida atende recomendação do Ministério da Saúde, devido às baixas coberturas vacinais. A SES explica que a vacina está disponível nos postos de saúde de todo estado. 

De acordo com o comunicado do MS, o uso temporário será até o dia 23 de fevereiro de 2023, com o objetivo de aumentar a proteção contra a doença meningocócica C e evitar a ocorrência de surtos. 

A técnica do Núcleo de Imunização da SES, Milena Vitorino, explica que: “A vacina começa desde já e os pais que estão com dúvidas se os filhos tomaram ou não devem levar o cartão de vacinação que o profissional de saúde avaliará”.

Franciélia Carvalho, chefe do Núcleo, explicou que a vacina faz  parte do Calendário de Vacinação, e é aplicada em crianças menores de cinco anos, em esquema de duas doses, sendo a primeira aos três meses e a segunda aos cinco meses, e uma dose de reforço, preferencialmente, aos 12 meses de idade e garantiu que: “O Programa Nacional de Imunização – PNI, do Ministério da Saúde, recomenda que a vacina seja ministrada em crianças menores de cinco anos por ser a faixa etária com maior risco de adoecimento, contudo, pode ser aplicada, de forma bastante tranquila, em crianças acima de cinco anos, como ocorrerá agora nesse uso temporário”.

Cobertura Vacinal

A meta de cobertura vacinal indicada pelo Ministério da Saúde é de 95%. Até maio de 2022, a cobertura em menores de um ano estava em 41,29% e de 40,87% em crianças de até um ano.

Já no ano de 2021, a cobertura registrada foi de 68,01% em menores de um ano e de 65,18% em crianças de até um ano. 

A cobertura vacinal para a meningocócica C (conjugada) na Paraíba de 2020 foi de 75,58% em menores de um ano e de 72,86% em crianças de até um ano.

Comentários estão fechados.