Parte do FGTS pode ser usado para pagar dívidas?

Dúvida é bastante comum e este dinheiro pode ser a saída para muitos brasileiros.

Tempos difíceis estamos vivendo atualmente. Em meio a uma pandemia, muitos brasileiros tiveram que se reinventar. A rotina foi alterada, pois o processo comportamental se viu de um dia para o outro ser modificado.

O distanciamento social, o home-office e o desemprego que levou ao empreendedorismo de muitos.

Mas, enfim, o cidadão que perdeu seu emprego, em tempos de crise, dá seu jeito. Afinal, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) – que é um direito primordial do trabalhador –  pode ser uma solução.

Afinal, será que é possível sacar parte do FGTS para pagar contas pendentes? Você já retirou o dinheiro do FGTS? Pode ser sacado a qualquer momento? Continue essa leitura onde vamos explicar tudinho.

 É possível sacar parte do FGTS?

A resposta é sim e não. O sim é que realmente é possível e até deve ser utilizado o dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço para quitar as dívidas. O não, é que apesar de não ser permitido realizar o saque do valor do total da conta do FGTS de imediato, você consegue retirar o dinheiro para quitar as dívidas em situações específicas.

Sacar FGTS para pagar dívidas é uma alternativa de 65% dos brasileiros, segundo uma pesquisa dos órgãos de proteção ao crédito.

Até mesmo porque ninguém gosta de estar com contas atrasadas e ter o nome sujo no SPC e Serasa. O quanto antes a dívida for sanada, menores serão os juros. Neste caso, tempo é dinheiro. Portanto não perca tempo.

Quando é possível sacar o FGTS?

O acesso ao saldo do FGTS só pode ser realizado em situações pontuais. Não pode ser realizado a qualquer momento. Existem alguns tipos de saque.

O imediato e o saque-aniversário, além do emergencial criado pelo governo para conter os impactos da pandemia do coronavírus. 

Fora estes, você só pode sacar o FGTS quando: 

  • Demissão sem justa causa;
  • Aposentadoria;
  • Compra de casa própria;
  • Fechamento da empresa empregadora;
  • Término do contrato de trabalho de um trabalhador temporário;
  • Rescisão de contrato por comum acordo entre empregador e trabalhador – nesse caso, é possível sacar somente 80% do saldo da conta vinculada;
  • Falta de atividade remunerada para trabalhador avulso por 90 dias ou mais;
  • Ter idade igual ou superior a 70 anos;
  • Doenças graves (como Aids ou câncer) do trabalhador, esposa(o) ou filho, ou em caso de estágio terminal de qualquer doença.

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço é recolhido mensalmente pelo empregador. Sendo assim, deve ser depositado em uma conta na Caixa Econômica Federal a quantia que corresponde a 8% do salário do trabalhador.

Como optar pelo saque-aniversário?

Se a sua opção for o saque-aniversário para quitar as dívidas, a adesão deve ser feita através do site do banco ou por meio do aplicativo FGTS.

No entanto, somente as pessoas que fazem aniversário entre os meses de setembro e dezembro podem fazer a retirada ainda este ano, visto que o prazo para adesão é o último dia do mês do aniversário.

Aqueles que não fizerem a opção pelo saque-aniversário, permanecem na opção do Saque-Rescisão, que ocorre quando em caso de demissão sem justa causa ou quando o contrato termina. 

Por: Ana Luzia Rodrigues

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.