Passa de 1,6mi número de trabalhadores que não sacaram o PIS/Pasep

0
186

O prazo para os trabalhadores sacar o abono salarial do PIS/Pasep, de um salário mínimo (R$ 880), termina na próxima quinta-feira (30). O Ministério do Trabalho e Emprego informou nesta quinta-feira (23) que ao menos 22 milhões de brasileiros já sacaram o benefício, totalizando R$ 18,3 bilhões.

No entanto, ao menos 1,6 milhão de trabalhadores com direito à grana ainda não buscou o dinheiro nas agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. Caso os recursos não sejam sacados, o dinheiro volta ao FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

A pasta informou ainda que mais de 1,5 milhão de cartas foram enviadas a trabalhadores para lembrá-los de sacar o benefício. O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, erxplica que “o abono salarial é um 14º salário direcionado ao trabalhador de baixa renda”, afirma o ministro.

Para ter direito ao benefício, o trabalhador deve ser cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, ter recebido remuneração mensal média de até dois salários mínimos (R$ 1.760), ter exercido atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2014.

O empregador também precisa ter relacionado o empregado na Rais (Relação Anual de Informações Sociais) entregue ao Ministério do Trabalho.

Para saber se você tem direito ao saque do PIS/PASEP, basta ligar para a Central de Atendimento Alô Trabalho do Ministério do Trabalho (número 158); para a Caixa (0800-7260207); e para o Banco do Brasil (0800-7290001).

Saques

Quem tiver o Cartão Cidadão e senha cadastrada pode sacar o PIS nos terminais de autoatendimento da Caixa ou em uma lotérica. Se o trabalhador não tiver o Cartão Cidadão, pode receber o abono em qualquer agência da Caixa mediante apresentação de documento de identificação.

Os participantes do Pasep, após verificar se houve depósito na conta, devem procurar uma agência do Banco do Brasil e apresentar um documento de identificação.

O PIS (Programa de Integração Social) e o Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) são contribuições sociais feitas pelas empresas para financiar os benefícios do Seguro-Desemprego e do abono salarial. O PIS é destinado aos funcionários de empresas privadas, regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e o Pasep, aos servidores públicos.

Matéria: R7