Pesquisa aponta expectativa dos empregadores com a retomada das contratações

0

Após um período extenso e complexo de incertezas devido aos impactos da pandemia da Covid-19, a economia brasileira se agravou ainda mais.

No sentido de se prepararem para o que está por vir, os empresários brasileiros começaram a traçar metas para o início de 2021, visando um ano novo com otimismo e novas soluções perante esta crise global. 

Depois de dois trimestres seguidos apontando indicadores negativos, o índice de intenções de contratação no Brasil para o primeiro trimestre de 2021, gira em torno de 10%, ou seja, um crescimento de 13 pontos percentuais se comparado ao período equivalente anterior e igual ao índice da mesma época neste ano, antes da pandemia se iniciar. 

Os dados mencionados foram apresentados pela Pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup, a qual entrevistou 609 empregadores brasileiros entre os dias 15 a 27 de outubro de 2020.

Na oportunidade, a pesquisa ainda revelou que, 17% dos empregadores acreditam em um retorno considerável nos níveis de contratação pré-Covid já durante os próximos três meses. 

Enquanto isso, outros 54% aguardam pela retomada no período de até um ano, e 23% preveem uma reação no mercado de trabalho entre quatro a nove meses. 

Por fim, somente 5% dos entrevistados têm a perspectiva de que os níveis de contratação podem nunca retomar os índices anteriores à pandemia. 

Estes resultados apurados colocam o Brasil entre o ranking dos cinco países que têm elaborado planos de contratação mais sólidos para o primeiro trimestre de 2021, pois, em comparação com as Américas, os empregadores brasileiros ficam atrás apenas dos Estados Unidos da América (EUA). 

Por outro lado, em comparação com o quarto trimestre de 2020, 32 países que participaram da pesquisa declararam uma melhora nas expectativas de contratação para o período, desta forma, as intenções mais expressivas foram relatadas nos seguintes países: 

  • Taiwan (+23%);
  • Estados Unidos (+17%);
  • Singapura (+15%);
  • Austrália (+10%);
  • Brasil (+10%).

Em contrapartida, apresentam os índices mais fracos os seguintes países:

  • Panamá (-7%);
  • Reino Unido (-6%);
  • Suíça (-4%);
  • Áustria (-2%);
  • Hong Kong (-2%).

Vale mencionar que o ManpowerGroup entrevistou 37.171 empregadores em 43 países diferentes.

Comparação entre setores 

Existe uma previsão de aumento nas contratações em seis dois oito setores pesquisados. 

O destaque fica para o comércio atacadista e varejista, que indicou uma previsão de + 15%, ou seja, um crescimento de 29 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior.

Na sequência vem o setor de finanças, seguros & imobiliário e indústria, ambos com + 13%. 

Já no que se refere às intenções mais fracas, estas afetam a administração pública & educação, que indicou – 4%, embora tenha havido um crescimento de três pontos percentuais no comparativo trimestral. 

Por fim, o setor de serviços apresenta uma expectativa neutra, de 0%, o que indica uma retração de dois pontos percentuais se comparado com o quarto semestre de 2020, além de uma queda de 17 pontos percentuais em comparação ao primeiro trimestre de 2020.

Observe:

  • Comércio Atacadista e Varejista: +15%;
  • Indústria: +13%;
  • Finanças, Seguros & Imobiliário: +13%;
  • Construção: +10%;
  • Agricultura, Pesca & Mineração: +9%;
  • Transporte & Serviços Públicos: +8%;
  • Serviços: 0%;
  • Administração Pública & Educação: -4%.

“Mesmo em um cenário desafiador, com mais de 14 milhões de desempregados e incertezas com relação à retomada das atividades em meio à pandemia, as expectativas para o 1º trimestre de 2021 trazem esperança para um início de ano mais promissor. 

Além de alcançar os indicadores do período pré-Covid, com crescimento de 13 pontos percentuais em apenas um trimestre, os números foram impulsionados pelo incremento das intenções, principalmente no comércio e na indústria, setores que já dão sinais de recuperação, e também pequenas empresas que, após dois trimestres com expectativa negativa, voltam a projetar contratações”, destaca Nilson Pereira, presidente do ManpowerGroup.

Comparação por regiões

O levantamento apresenta uma melhora considerável nas expectativas e contratação em todas as cinco regiões brasileiras perante o comparativo trimestral, tendo em vista que os empregadores de quatro localidades visam ampliar o quadro de funcionários no primeiro trimestre de 2021. 

A projeção mais otimista até o momento é no Paraná, diante de uma expectativa de + 19%, ou seja, um crescimento de 15 pontos percentuais se comparado ao trimestre anterior e 11 pontos percentuais em comparação com o primeiro trimestre de 2020, indicando a perspectiva mais otimista dos últimos dois anos. 

O Estado de Minas Gerais também é visto como um destaque neste sentido, ao apresentar um índice de + 13%, retomando os níveis de contratação pré-pandemia.

Enquanto isso, no Estado de São Paulo, a expectativa é de + 9%. 

A previsão mais fraca entre os Estados foi no Rio de Janeiro, com um índice de – 5%, embora tenha havido uma recuperação de seis pontos percentuais em comparação ao trimestre anterior, junto a um declínio de dez pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre deste ano. 

Comparação entre portes de empresa

A pesquisa também apresenta um aumento nas intenções de contratação em todas as quatro categorias por tamanho de organização. 

Desta forma, as grandes empresas têm o indicador mais forte, diante de 21% com um incremento de oito pontos percentuais se comparado ao quarto trimestre de 2020. 

Na sequência, vem os empregadores de médias empresas, os quais alegaram uma expectativa de 13%, ou seja, um aumento de 14 pontos percentuais mediante o comparativo trimestral. 

A maior recuperação foi apresentada nas pequenas empresas, as quais apontaram expectativas de 3%, o que indica um crescimento de 18 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior. 

Portanto, as microempresas apresentaram um recuo de 4%, ainda que tenha havido um crescimento de seis pontos percentuais perante o comparativo trimestral.

“Regionalmente, 57% dos empregadores de três localidades (cidade e estado de São Paulo e Paraná) têm a expectativa de que a retomada ocorra em um ano. 

No comparativo por setor, a expectativa mais otimista está com o Comércio Atacadista e Varejista, em que 24% dos empresários acreditam que a retomada nas contratações ocorra nos próximos três meses. 

Por tamanho de organização, a análise indica que 57% das grandes empresas esperam que os níveis de contratação pré-pandemia retomem dentro de um ano, enquanto 23% deles acreditam que isso acontecerá nos próximos três meses”, conclui Pereira.

Dica Extra do Jornal Contábil: Você gostaria de trabalhar com Departamento Pessoal?

Já percebeu as oportunidades que essa área proporciona?

Conheça o programa completo que ensina todas as etapas do DP, desde entender os Conceitos, Regras, Normas e Leis que regem a área, até as rotinas e procedimentos como Admissão, Demissão, eSocial, FGTS, Férias, 13o Salário e tudo mais que você precisa dominar para atuar na área.

Se você pretende trabalhar com Departamento Pessoal, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um profissional qualificado.

Por Laura Alvarenga