Planejamento Financeiro: Conheça 5 dicas para se organizar financeiramente

Você sabe como se organizar financeiramente e pagar as contas em dia? Se não, leia este conteúdo e receba as melhores dicas sobre organização financeira.

0

À primeira vista, Ter uma organização financeira pode parecer algo de outro mundo ou limitado apenas à poucas pessoas de alto padrão financeiro.

No entanto, na maioria das vezes, são os maus hábitos que distanciam as pessoas de conseguirem gerenciar bem o seu dinheiro.

Viver e trabalhar apenas para pagar dívidas, ser refém de compras por impulso e não estruturar seus custos são alguns dos principais motivos que impedem a organização financeira.

O Brasil tem hoje uma população de endividados do tamanho da Itália: são 63,4 milhões de brasileiros com dívidas ativas em seu CPF segundo dados da Serasa.

A boa notícia é que, com algumas mudanças na rotina e muita determinação, é possível ver a luz ao fim do túnel e conseguir se organizar financeiramente.

Quer saber como? Acompanhe a leitura!

Por que devo saber como me organizar financeiramente?

A organização financeira, como já foi dito, tem vantagens que vão muito além da satisfação de terminar o mês com sua conta bancária no azul.

Quem se organiza consegue enxergar com clareza o fluxo do seu orçamento mês após mês, realiza sonhos com responsabilidade e aumenta o seu patrimônio ano a ano.

A ideia por trás dessa estratégia é registrar todas as receitas e as despesas.

Com isso, dá para entender se o que você gasta hoje é compatível com a sua renda ou se está gastando mais do que ganha e ficando no vermelho.

E por quê eu não consigo me organizar financeiramente?

Apesar de comum, a prática de buscar empréstimos bancários, cartões de crédito e até mesmo dinheiro emprestado com outras pessoas para aliviar o orçamento tende a ser bastante prejudicial para a sua saúde financeira.

Além disso, não é novidade que muitas pessoas buscam empréstimos, muitas vezes, para pagar dívidas.

O acúmulo de juros vai gerando o efeito bola de neve e levando você a um poço sem fundo.

Ligue o sinal vermelho e busque a organização financeira.

Qual a melhor forma para me organizar financeiramente?

Seja qual for a sua questão, ao se organizar financeiramente, fica mais fácil de entender para onde o dinheiro está indo e como corrigir os problemas identificados.

Ao fim, você vai ver que todo mundo consegue se planejar para poupar dinheiro e, aos poucos, criar uma reserva de emergência e investir em aplicações que vão garantir um futuro mais seguro e confortável.

Se você possui metas e sonhos a conquistar, aprenda como se organizar financeiramente, com os passos que vamos ensinar em seguida.

Planilha de planejamento é a melhor forma de me organizar financeiramente?

Uma planilha de planejamento financeiro é uma excelente forma de se organizar financeiramente.

Além de ser simples de se manusear, estará sempre a disposição para consulta e sua frequente atualização.

Porém, algumas pessoas ainda preferem as agendas em papel para o registro de gastos e planejamento de finanças.

Estas gostam de ter sempre à mão suas anotações podendo rabiscar, destacar e melhor entender o que foi descrito sobre suas finanças.

Há também a possibilidade do uso de aplicativos para educação financeira pessoal.

Este método vem ganhando muitos novos adeptos pelo crescimento do mundo digital e da facilidade de rastreabilidade de tudo que ocorre em contas bancárias e faturas de cartão de crédito.

Para aqueles que amam tecnologia, é uma ótima dica de organização financeira.

Independente do método utilizado, o mais importante é escolher o modelo que mais te agrada e ter disciplina para seguir o planejado.

Não dê desculpas, busque se organizar financeiramente!

Dicas para se organizar financeiramente

Agora chegou a hora de você receber as melhores dicas para finalmente se organizar financeiramente! Acompanhe.

1. Entenda o seu momento financeiro

O primeiro passo para sair do vermelho e se organizar financeiramente é ter o conhecimento da real situação das suas finanças e das suas dívidas.

Para isso, coloque no papel ou registre em uma planilha quanto você está devendo, há quanto tempo e para quem.

Mesmo os pequenos débitos não devem ficar de fora desse diagnóstico.

A maioria dos brasileiros ignoram a organização financeira e a sua falta é a principal causa de uma vida cheia de dívidas, junto com o endividamento e o desemprego.

De toda forma, não ignore este passo, não se pode brigar com algo que não se conhece.

Liste tudo e avance ao próximo nível.

2. Negocie todas as suas dívidas

Grande parte das dívidas que temos absorvidas estão atreladas a juros e alguns destes são rotativos e se acumulam quando não são pagos em dias.

Busque todos os seus credores e faça uma negociação para que os juros sejam fixados e as parcelas se adequem ao seu bolso.

Não ignore o fato de que no futuro podem haver novos imprevistos que impactem em seu fluxo de caixa pessoal.

Busque valores mensais que fiquem em torno de 15% de seus ganhos e siga assim na luta para não gerar novas dívidas e este novo compromisso assumido possa ser pago sempre dentro do vencimento.

3. Troque dívidas altas por opções com juros menores

Uma ótima dica é buscar no mercado opções de crédito que possuem menos juros do que os seus parcelamentos atuais.

É bem comum as instituições bancárias oferecerem a portabilidade de crédito.

Vale a pena pesquisar se não há financeiras oferecendo juros menores para financiamentos imobiliários, de automóveis e até mesmo empréstimos pessoais em troca da portabilidade do seu contrato.

Portanto, faça cálculos e caso seja viável, realize a portabilidade.

Reduza ainda mais os custos fixos mensais com economia de juros na troca de financeira.

4. Crie uma reserva de emergência

Assim como registrar os gastos, negociar dívidas é também essencial que não se construa novas dívidas.

Principalmente, considerando que grande parte dos débitos que são adquiridos partem de imprevistos do dia a dia.

Por exemplo, compra de remédios, uma viagem de emergência, perda do emprego, um mês sem vendas, a batida de um carro… Todos são acontecimentos que podem gerar situações que necessitem requisitar o crédito no mercado, caso você não tenha ainda uma reserva de emergência.

Por isso, aproveite as sobras no seu orçamento após as negociações realizadas para poupar dinheiro mensalmente.

Sendo assim, busque ter investido pelo menos um valor correspondente a 3 meses do seu custo de vida.

Dessa forma, os imprevistos serão superados de uma forma bem mais saudável e sua organização financeira continuará preservada.

5. Faça uma renda extra

Uma boa estratégia é buscar formas de ampliar sua renda, principalmente quando há tempo disponível.

Ou seja, ganhar mais dinheiro sem aumentar o padrão de vida vai potencializar a sua organização financeira.

Há um mundo de oportunidades para se ter renda extra.

Por exemplo, no Brasil é crescente a demanda por mais pessoas que se dedicam ao trabalho freelancer.

Aliás, é plenamente possível viver somente com a renda conquistada em trabalhos sem vínculos trabalhistas.

Portanto, se você tem alguma habilidade ou conhecimento que possa ser compartilhado, não deixe de aproveitar essa oportunidade!

Conquistando renda extra é possível quitar suas dívidas, criar uma reserva de emergência e ainda fazer o dinheiro trabalhar a seu favor.

Veja algumas sugestões:

  • revender produtos importados, como perfumes, roupas e maquiagens;
  • trabalhar como editor de imagens;
  • trabalhar como redator de textos publicitários;
  • dar aulas particulares;
  • vender doces e bolos;
  • investir seu dinheiro.

Agora você sabe como se organizar financeiramente e assumir o controle do seu dinheiro de uma vez por todas!

Não se esqueça de seguir as dicas de acordo com a sua realidade financeira!

Por isso, é muito importante avaliar seu orçamento e suas necessidades básicas.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Resolvvi

html image example