Plano de ação no exterior: O que é e como fazê-lo corretamente

Quais as vantagens em apostar nos investimentos além fronteira e por onde começar

0

Basta que o dólar comece a subir diante do real para que os investidores brasileiros comecem a considerar a “Terra do Tio Sam” como uma grande oportunidade de turbinar os seus rendimentos. 

Mas os investidores iniciantes podem ter problemas quanto a isso, pois fazer o dinheiro render em território estrangeiro exige conhecimento sobre o assunto. Do contrário, as chances de não obter os resultados esperados são grandes.

Veja a seguir por onde começar a criar o seu plano de ação no exterior, quais as vantagens de apostar em investimentos estrangeiros e quais as formas de investir. 

Por que investir no exterior?

A primeira pergunta a ser respondida é: “por que investir no exterior, afinal?”. Antes de respondê-la, é importante dar uns passos atrás e falar um pouco sobre o contexto. 

Há não muito tempo, os investimentos no mercado estrangeiro eram restritos aos endinheirados. Mas algumas mudanças vieram e a principal delas, responsável por popularizar os investimentos no exterior, diz respeito a eliminação de investimento mínimo nos fundos. 

Na época em que isso aconteceu, coincidentemente a taxa de juros SELIC caiu logo em seguida, o que levou muitos investidores a buscarem alternativas seguras à renda fixa – que já não estava rentabilizando tão bem – no mercado externo.

Sabendo de tudo isso, é hora de entender o que torna essa aposta vantajosa. Para explicar, veja 3 bons motivos:

Diversificação de carteira

Você já ouviu aquele famoso ditado que diz para “nunca colocar todos os ovos na mesma cesta”? Ele cabe muito bem quando o assunto é dinheiro. Investir todo o dinheiro em um único investimento é uma decisão arriscada.

Por isso, ter uma carteira de investimento diversificada é uma das maneiras mais eficazes de proteger o seu dinheiro contra possíveis perdas. E quando o assunto é investimento no exterior, essa é uma excelente opção para evitar prejuízos com a desvalorização do real, por exemplo. 

Moeda forte

Além de diversificar a carteira, investir no exterior é uma ótima maneira de balancear os seus ativos e passivos. Ou seja, quando o dólar sobe, você gasta mais. Portanto, investir no exterior é a oportunidade de ganhar mais também. 

Proteção de patrimônio

Por último, é importante reforçar mais uma vez que o investimento no exterior está ligado diretamente à proteção do seu patrimônio. Afinal, quanto maior a diversificação na carteira de investimentos, menos “desprotegido” o seu dinheiro estará. 

É como diz uma citação famosa de Warren Buffett, o 3º homem mais rico do mundo de acordo com o último ranking da Forbes: “Não importa o quão sereno o dia pode ser, o amanhã é sempre incerto. Não deixe esta realidade te assustar”.

Stock Exchange Data Investment Workplace Concept

Quais as opções para investir no exterior?

Se você chegou até aqui deve ter entendido que investir no exterior pode ser realmente vantajoso. Mas você provavelmente está se perguntando “Por onde começar? Como investir meu dinheiro no exterior?” e para sanar as suas dúvidas, veja a seguir algumas das opções mais acessíveis disponíveis para quem deseja começar a se aventurar nesse universo:

Fundos de investimento

Os fundos de investimento são opções bastante populares, não só por quem está começando, mas também por investidores que buscam uma maneira de diversificar a sua carteira sem, necessariamente, ter muita preocupação.

Afinal, os fundos são produtos desenvolvidos por corretoras e instituições financeiras, administrados por gestores especializados. Basta que o investidor adquira uma cota de acordo com as suas possibilidades e objetivos. Os mais comuns são os fundos de câmbio e os fundos de ações.

Fundos de câmbio ou fundos cambiais

A primeira opção de fundo de investimento tem como objetivo fazer investidores ganharem dinheiro com a alta do dólar e preservarem o seu poder de compra mesmo com a desvalorização do real. 

Cerca de 80% dos fundos cambiais devem estar atrelados às cotações de uma moeda estrangeira, em geral o dólar, e 20% em renda fixa. 

Fundos de ações

Os fundos de ações que investem em empresas internacionais costumam ser uma opção lucrativa, mas também mais arriscada. Afinal, essa é a premissa do universo do investimento: quando maiores os riscos, maiores também os ganhos. Ou seja, se você faz o perfil de investidor arrojado, vale apostar nesse tipo de investimento. 

Além dos fundos de investimento é possível investir em ETF, como é chamado o Exchange Traded Fund. Assim como os fundos, o investidor adquire uma cota e o seu dinheiro, junto com o dos outros investidores do fundo, passa a ser administrado por um gestor especializado.

Por onde começar?

Agora é hora de saber por onde começar. Veja algumas das etapas:

Descubra qual o seu perfil investidor

Antes de fazer qualquer investimento, você precisa saber exatamente qual é o seu perfil: conservador, moderado ou arrojado. 

Os investidores conservadores preferem proteger o seu patrimônio acima de tudo, ainda que isso signifique abrir mão de opções com alta rentabilidade. Já os moderados prezam sim pela proteção de patrimônio, mas estão dispostos a se arriscar por maiores rentabilidades. Por último, os investidores arrojados querem alta lucratividade a todo custo, ainda que isso signifique riscos maiores.

Criar uma conta em uma corretora de investimentos

O primeiro passo é criar uma conta em uma corretora de investimentos especializada. Afinal, é a corretora que ficará responsável por intermediar todos os investimentos realizados. Portanto, pesquise muito bem antes de bater o martelo quanto a sua escolha.

Pesquise em fóruns de investimento na internet e grupos sobre o assunto nas redes sociais para conhecer a experiência de outros investidores. Falar com pessoas reais faz toda a diferença.

Conhecer a legislação que regula os investimentos no exterior

Por último, é importante conhecer de forma mais aprofundada o que diz a legislação brasileira sobre os investimentos no exterior: taxas, regras, limites de valores, entre outras coisas. Ainda que você contrate uma assessoria especializada, é importante ter conhecimento ao menos sobre as regras primordiais.

Gostou das dicas? Então, aproveite para colocá-las em prática e começar a investir em fundos de investimento no exterior ainda em 2019.