Plano de Contas: Conheça a estrutura e suas vantagens

0

O plano de contas representa a movimentação financeira e econômica de sua empresa, ligadas a suas atividades.

Esse código é um plano elaborado de códigos e classificações que registram receitas e despesas de sua empresa.

Essa classificação é de extrema importância para a equipe contábil, pois com isso ela é capaz de fazer relatórios financeiros obrigatórios como Demonstrativo de Resultados do Exercício, de Fluxo de Caixa e Balanço Patrimonial.

Por ser um requisito contábil, é necessário que ele seja elaborado conforme as regras previstas na lei nº 6.404/76.

Com ela, você também faz a elaboração do Orçamento Empresarial, assim verificando de forma clara as metas financeiras da sua empresa.

Isso te dá a possibilidade de acompanhar os valores de modo mensal, permitindo um comparativo com o planejamento.

Qual a finalidade do plano de contas?

A equipe responsável pela contabilidade de sua empresa precisa preparar inúmeras documentações, relatórios e controles sobre a movimentação financeira do negócio.

Caso você queira que esse processo seja otimizado em sua empresa, é necessário a padronização, pois independente da pessoa responsável, é só seguir o padrão adotado para garantir os resultados desejados.

Para facilitar a identificação de todas as contas envolvidas na operação, mas para isso acontecer, é necessário que a equipe contábil agrupe as entradas e saídas, considerando a estrutura legal exigida.

Assim, fica muito mais fácil interpretar os dados e observar os pontos de falha ou oportunidades de melhoria, além de agilizar o trabalho de quem estrutura todos os relatórios obrigatórios.

Quais as vantagens do plano de contas?

Nesse momento, você deve ter percebido que o plano de contas traz vantagens consideráveis para sua empresa, mas existem algumas prioridades que devem ser seguidas para atingir seus objetivos, tais como:

Cumprimento fiscal

Conforme a exigência da Receita Federal, a Escrituração Contábil Fiscal deve enviar os saldos contábeis para a mesma.

Caso você não possua um modelo de plano de contas, será muito difícil se adequar aos lançamentos e demonstrações para envio.

Se você possuir um modelo de plano de contas que seja diferente do criado pela Receita Federal, basta fazer um “de/para”.

Otimização

Para otimizar o fechamento de relatórios para DRE e Balanço Patrimonial, é essencial padronizar as movimentações financeiras tanto de entrada como de saída.

Sendo assim, o responsável por esses documentos, têm o trabalho bastante facilitado, assim garantindo que o registro das informações e sua interpretação sejam as mesmas, não importa por que foi feito o relatório.

Como é a estrutura do plano de contas?

É necessário que o plano de contas cumpra certas exigências que são exigidas pela lei da Sociedade Anônima (S/A) além de possuir como base as Normas Brasileiras de Contabilidade e os Princípios Fundamentais de Contabilidade.

O plano de contas contábil deve ser feito criando níveis e subníveis para todos os registros.

Essas categorias terão, portanto, um código de identificação com apenas um numeral, como, por exemplo:

  • Ativos
  • Passivos
  • Custos
  • Despesas
  • Receitas

Dentro de cada nível, existem grupos, e dentro de cada grupo, as contas e subcontas.

Ativo

Nesta categoria é incluída todas as referências aos bens e direitos da empresa, sendo a responsável pela parte positiva do patrimônio da empresa, como investimentos, aplicações, movimentações de contas em banco, contas a pagar e receber, etc, sendo subdividida em:

  • Circulante: realizável a curto prazo, ou seja, inferior a 365 dias contados a partir da data do Balanço.
  • Não circulante: realizável a longo prazo, ou seja, superior a 365 dias a partir da data do Balanço.

Passivo

Essa categoria representa todos os deveres da empresa, é a parte negativa da empresa, tais como financiamentos e origem para a operação, podendo ser subdividida em:

  • Circulante: exigível a curto prazo, ou seja, inferior a 365 dias contados a partir da data do Balanço.
  • Não circulante: exigível a longo prazo, ou seja, superior a 365 dias a partir da data do Balanço.
  • Patrimônio líquido: capital social em um determinado momento, ou seja, capital próprio dos sócios ou acionistas.

Custos

Também conhecidos como despesas variáveis, é todo e qualquer gasto que tem uma relação direta com a venda, produção e prestação de serviços, variando de acordo com a produção, ou seja, caso você produza mais, você terá que comprar mais matéria-prima, assim aumentando seu custo.

Os custos são usados para se calcular importantes indicadores, tais como:

  • CMV: custo da mercadoria vendida.
  • CPV: custo do produto vendido.
  • CSV: custo do serviço vendido.
Designed by @snowing / freepik
Designed by @snowing / freepik

Despesas

Também conhecida como despesas fixas, são todos os gastos necessários para o funcionamento da operação, mas sem ter vínculo direto com a produção.

Sendo assim independente se você produzir ou não, as despesas continuam as mesmas. Elas podem ser divididas em:

  • Comerciais: como publicidade e propaganda.
  • Administrativas: como, por exemplo, materiais de expediente.
  • Financeiras: como juros e multas.

Receitas

São todos valores que foram recebidos pelas empresas, tanto pela prestação de algum serviço, como vendas de determinados produtos ou algum tipo de investimento realizado. 

São classificadas em:

  • Vendas: venda de produtos ou equipamentos.
  • Prestação de serviços: como treinamento ou manutenção, por exemplo.
  • Financeiras: como recebimento de juros ou multas, rendimentos de investimentos, etc.

Agora que todas as transações foram registradas e conhecidas, você pode começar seu plano de contas.

Ramificações

Nesta categoria você coloca suas contas sintéticas, que serão desdobradas depois nas analíticas.

Exemplo: na categoria “Ativos”, você criará a conta “Circulante” e dentro dessa conta,você poderá abrir subcontas como “Investimento X”, “Conta em Movimento Y”, e por aí vai.

Descrição de contas

Crie códigos  de identificação para todos os níveis como por exemplo, a categoria vai ser número 1. Uma conta, 1.1. Uma subconta, 1.1.1. E assim por diante…

Assim, você estará criando uma lógica para todo tipo de conta e subconta. Lembre-se, esses números devem ser utilizados junto às descrições das contas a todo o momento, da mesma maneira que foi considerado como se deve.

Evitando erros no plano de contas

O objetivo do plano de contas é a otimização do trabalho na hora de fazer os relatórios fiscais de maneira padronizada.

Mas, caso ocorra alguma falha,toda a geração da documentação legal na hora da realização dos relatórios fiscais terá todo seu processo pode ser prejudicado.

A atenção é essencial nessa hora onde as contas serão separadas, colocando elas nas categorias corretas.

O erro mais comum que ocorre é a confusão entre custos e despesas. Os custos são todos tipos de gastos que influenciam de modo direto a capacidade produtiva de sua empresa, como matéria-prima, produção, mão de obra, equipamentos, energia elétrica, etc.

Já as despesas são gastos que são de extrema importância para o funcionamento de sua empresa, mas sem ter um impacto direto na produção.

Ajuda de um sistema de gestão

Como já dito, o plano de contas é bastante importante para o sucesso de sua empresa, assim facilitando o trabalho dos responsáveis pela contabilidade, que necessitam de clareza tanto na identificação quanto na classificação de todas as movimentações financeiras.

Para tanto, é necessário que a sua empresa tenha uma boa organização dessas transações, assim ficando mais simples de entender tanto as entradas quanto as saídas mais recorrentes, a estrutura financeira e os ciclos das contas, auxiliando em suas classificações.

Um sistema de gestão é fundamental para que as informações e dados sejam verdadeiros e apurados de modo correto.

O software ideal para sua empresa

A solução mais utilizada diante deste cenário é o uso do sistema de emissão de notas, muito usado para otimizar seu trabalho, além de verificar a validade das informações e garantir a segurança de dados fiscais.

Emissor de notas fiscais

O primeiro passo, é escolher um emissor de notas online, rápido e seguro, e é aí onde o Emitte entra.

Além de ser o emissor mais completo do mercado, com o Emitte você só paga pelo que usar, sem burocracia, basta inserir seu certificado digital e começar a emitir suas notas fiscais de uma forma simples e prática.

Layout intuitivo

Nosso layout é intuitivo. Basta você colocar as informações necessárias, lembrando de verificar se não esqueceu de colocar alguma informação essencial, assim garantindo 100% de acerto na hora da emissão.

Emita suas notas de onde estiver através do app Emitte para Android e iOS, além de contar com a opção de utilizar uma impressora bluetooth.

Por que usar o Emitte?

Possui busca automática de dados cadastrais, além de enviar automaticamente o XML para o cliente.

Além disso, você não precisa se preocupar com Backup ou perda de dados. Todos os seus dados estão armazenados na nuvem.

Conclusão

Enfim, para garantir a interpretação dos resultados financeiros da empresa, é essencial ter um plano de contas, pois sem ele, você poderá ter interpretações equivocadas ao comparar seus resultados com diferentes períodos, além de ser um referencial é uma obrigação de toda empresa.

Além de assegurar a integridade de suas informações, a automatização de processos é essencial para que suas decisões sejam assertivas.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Fonte: Emitte

https://jornalcontabil.com.br/wp-content/uploads/2021/02/emite.jpg