Por que a gestão financeira é tão relevante para PMEs?

Uma gestão financeira inadequada é fatal para qualquer empresa.

O departamento financeiro é um dos que requer maior atenção em todos os negócios – mas, nem sempre é possível dedicar a disciplina necessária para sua gestão. Felizmente, com os avanços tecnológicos e a crescente digitalização de diversas tarefas organizacionais, a terceirização das atividades administrativas e operacionais por meio do Business Process Outsourcing (BPO) é uma tendência que vem ganhando grande força no mercado para auxiliar essa missão – estratégia que, para as Pequenas e Médias Empresas (PMEs), se torna extremamente importante para que tenham um melhor controle e, assim, evitem riscos que possam impactar a operação.

Uma gestão financeira inadequada é fatal para qualquer empresa. Principalmente, diante de adversidades como vivenciamos na pandemia, que exigem um controle ainda maior para evitar o fechamento dos negócios. Um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que 48% das companhias brasileiras não conseguem permanecer operando por mais de três anos, justamente pela falta de controle financeiro. Mesmo com diversos recursos tecnológicos disponíveis e acessíveis para pequenas empresas, muitas ainda não aproveitam essas vantagens a seu favor.

Felizmente, alguns passos já vêm sendo dados para mudar essa realidade. Uma pesquisa conduzida pela Dell Technologies e a Forrester Consulting, revela que cerca de 73% das empresas brasileiras já orientam seus negócios por dados. No entanto, apenas 28% os gerenciam de forma eficaz. Ou seja, há muitas oportunidades a serem exploradas.

Obviamente, administrar um empreendimento não é fácil e requer muita organização além de planejamento para prosperar e driblar qualquer empecilho que possa surgir. Sem o auxílio de ferramentas modernas que tragam praticidade e otimização neste controle, fazer com que o negócio tenha sucesso se torna uma missão difícil – especialmente para as de menor porte, que têm recursos escassos.

Com o BPO digital, todas essas tarefas podem ser conquistadas de maneira muito mais simples e eficaz. Seja de maneira integral ou parcial, a terceirização possibilita uma maior automação dos processos que, antes, demandavam grande interferência humana. A dispensa dos processos manuais reduz, significativamente, erros nos processos, o que diminui as chances de inadimplência, juros e multas resultantes de atrasos de pagamentos, além da interrupção das atividades pela incapacidade de entrega das demandas.

Este ganho de produtividade é fundamental para as PMEs para que possam redirecionar seus esforços e atenções para ações realmente estratégicas que permitam seu crescimento e destaque no mercado. Afinal, com uma visão clara e crítica sobre seu fluxo de caixa, é possível tomar decisões de maneira muito mais assertiva, sem que as equipes estejam focadas majoritariamente nas rotinas de pagamento, faturamento e gestão financeira.

E, ao contrário do que parece, o BPO não é um benefício exclusivo para grandes organizações. Qualquer empresa pode terceirizar suas atividades financeiras tendo a tecnologia como principal aliada. Um bom Enterprise Resource Planning (ERP), com soluções embarcadas, proporciona grande eficiência operacional, elevando até pequenos negócios ao patamar de empresas inteligentes.

Para isso, o apoio de uma consultoria especializada é fundamental. Afinal, de nada adianta implantar um sistema de gestão se a empresa não desenvolver cultura e processos para extrair seu potencial máximo. Profissionais experientes e qualificados são indispensáveis para o sucesso do BPO digital, permitindo que as PMEs tenham uma melhor gestão financeira e, consequentemente, muito mais sucesso em seus negócios.

Por André Melo: Head of Delivery and Solutions, responsável por estruturar e liderar as equipes de implantação, desenvolvimento e suporte do SAP Business One na b2finance.

Comentários estão fechados.