Posso receber Bolsa Família e auxílio emergencial ao mesmo tempo?

Auxílio emergencial termina em outubro e entra em cena o Auxílio Brasil a partir de novembro

Não. Essa situação não é possível. Tanto o Bolsa Família quanto o auxílio emergencial são dois benefícios de transferência de renda do governo federal e não permitem acúmulo. O que o Governo Federal leva em consideração é qual o programa mais vantajoso para o cidadão e, dessa forma, o concede.

A última parcela do auxílio emergencial será paga em outubro e o Bolsa Família passará a ser chamado de Auxílio Brasil. Uma maneira do Governo de Jair Bolsonaro deixar sua marca de governo e desvincular o programa do Governo do seu antecessor, Lula. 

Mas as famílias beneficiadas com o Bolsa Família terão a integração de alguns benefícios em um único programa subsistente. A partir do lançamento do programa, quem já recebia o Bolsa Família não precisará se cadastrar.

Em geral, a maior parte dos beneficiários do Bolsa Família recebem o auxílio emergencial, pois os valores superam aqueles pagos no programa.

Quais as mudanças com o programa Auxílio Brasil?

O governo apresentou a Medida Provisória que cria o novo programa e agrupa os demais benefícios consolidados. 

Pelo menos 12 benefícios serão incrementados no novo programa, sendo eles os seguintes:

  • Benefício Primeira Infância;
  • Benefício Composição Familiar;
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza;
  • Auxílio Esporte Escolar;
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior;
  • Auxílio Criança Cidadã;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana;
  • Benefício Compensatório de Transição;
  • Emancipação e microcrédito;
  • Alimenta Brasil.

Foi anunciada também a implementação de medidas antecipatórias e de microcrédito. Os beneficiários que tiverem aumento da renda per capita que ultrapasse o limite para inclusão no Auxílio Brasil serão mantidos na folha de pagamento por mais 24 meses, chamada de Regra da Emancipação.

Do total arrecadado com a alta do IOF que incide sobre operações financeiras, R$ 1,6 bilhão será destinado a custear o aumento do benefício neste ano, de acordo com o próprio governo. O Auxílio Brasil atenderá 17 milhões de famílias e o valor das parcelas será de R$ 300.

Comentários estão fechados.