Não é nenhuma novidade que o seguro automotivo para idosos é mais barato do que para outras faixas etárias: os preços variam, mas o serviço chega a custar até 33% menos de acordo com um levantamento realizado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEPE).

E para eliminar qualquer tipo de preconceito acerca desses motoristas, vale lembrar que o número de pessoas idosas no Brasil vem aumentando aceleradamente nas últimas décadas: segundo a pesquisa Características Gerais dos Domicílios e Moradores 2018 do IBGE, a população brasileira acima dos 65 anos aumento 26% entre os anos de 2012 e 2018.

Cada vez mais ativos, independentes e cuidadosos com a saúde, os idosos continuam trafegando em seus carros por todo o país. Para as seguradoras, este perfil reúne alguns fatores importantes para que os preços de seus serviços acabem se tornando mais baratos para esses motoristas.

Por que os idosos pagam menos pelo seguro?

Os motivos que reduzem o preço do seguro para as pessoas acima dos 60 anos são simples de serem explicados.

Primeiramente, a maioria dos idosos costuma ter um comportamento mais seguro ao volante. Experientes e atentos, eles valorizam uma condução mais prudente e segura em comparação a outros perfis de motoristas mais jovens.

O estilo de vida dos idosos também colabora para a diminuição de sua exposição a fatores de que influenciam na cotação do seguro auto como modelo do veículo, histórico de multas, rodar grandes quilometragens, probabilidade de envolvimento em acidentes, chances de frequentar locais de risco entre outras variáveis que podem resultar em sinistros.

Além disso, esses motoristas mais experientes também costumam cuidar bem de seus carros, reconhecer desgastes em sua fase inicial, realizam manutenções preventivas e colaboram para sua conservação –  fator importante para que seus automóveis se mantenham dentro dos requisitos que garantem seu valor na Tabela Fipe.

Variações: o modelo do carro

Apesar do perfil mais tranquilo que os idosos costumam ter ao volante, existem fatores externos que podem interferir nos preços de sua apólice de seguro. A capital paulista, por exemplo, conta com uma frota de aproximadamente 7 milhões de veículos e 39.354 deles foram roubados até o mês de agosto de 2019 em todo o estado, de acordo com os números divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Entre os dez modelos mais cobiçados pelos ladrões estão o Onix (Chevrolet), HB20 (Hyundai), Voyage (Volkswagen), Gol (Volkswagen), Argo (Fiat), Siena (Fiat), Logan (Renault), WR-V (Honda), Ranger (Ford) e Toro (Fiat).

Por essa razão (e em termos puramente matemáticos), até mesmo uma motorista idosa pode enfrentar uma variação de até 309% no valor do seguro de um Fiat Toro em uma cidade como São Paulo, onde cotação dos serviços varia entre R$ R$4.050 até R$12.554, dependendo da seguradora e cobertura contratada.

Fonte: http://www.susep.gov.br/

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.