A responsabilidade é grande. São finanças, documentos, folhas de pagamentos, guias, cobranças, prazos enxutos, em um mundo onde um erro pode colocar em risco um trabalho de horas, dias ou até anos.

O dia a dia exigente e estressante dos contadores o coloca na mais recente lista das dez profissões mais estressantes do mundo, do Instituto SWNS.

Uma das explicações é que, a contabilidade ê uma das áreas mais importantes dentro de uma empresa –, são realizados balanços, fechamentos e procedimentos fiscais que não permitem qualquer erro, mesmo que mínimo.

Primeiros sinais

Tratar o emocional e saber identificar os primeiros sinais de que algo não está dando certo pode ser decisivo para que o equilíbrio volte a se estabelecer.

Mudanças nos hábitos alimentares, causadas por excesso ou falta de apetite, também são considerados sintomas do estresse e da depressão.

O Instituto de Psicologia Social Pichon-Rivière reforça que é normal, para toda e qualquer pessoa, sentir vontade de não sair da cama para trabalhar de vez em quando. Mas se essa sensação começa a ser uma constante, há indícios de depressão no ar. Com isso, vem as irritações excessivas, insônias e crises.

Ainda há um descompasso entre o que os contadores desejam oferecer à empresa e aquilo que, de fato, podem realizar.

Segundo o Instituto, as pessoas se sentem devendo e nunca alcançam aquilo que acham que deveriam ou gostariam de alcançar. No mundo do trabalho, vê-se um volume de demandas, em todas as áreas e atividades, muito maior do que as pessoas conseguem realizar no tempo definido.

Fato reconhecido é que a busca por maior produtividade em menor tempo ou com menos recursos reflete diretamente na rotina dos contadores. (JC)

Avalie a Matéria

Comente

Comentários