Processo trabalhista e motoristas: Como a tecnologia pode ajudar o advogado a se preparar?

0

Hora extra, adicional de insalubridade e periculosidade, intervalos não usufruídos, excesso de jornadas de trabalho, entre outros.

Esses são alguns dos principais motivos que geram processos trabalhistas e costumam ser grandes armadilhas para empresas que têm frotas de automóveis leves ou pesados.

Diante disso, como é possível manter o advogado precavido e munido de fatos a favor da empresa? Com tecnologia! Daniel Schnaider, especialista em gestão de frotas, fala sobre como a IoT pode ajudar os gestores com valiosas informações para que não haja injustiças.

Atualmente uma empresa que não quer e nem pode perder dinheiro com processos trabalhistas deve estar atenta às tecnologias que trazem dados e também gerencie o sistema de motoristas de uma frota.

A IoT pode fazer esse papel, ajudar o empresário e também o funcionário, e, assim, evitar desgastes desnecessários. – Daniel Schnaider (CEO da multinacional Pointer by Power Fleet Brasil.

Segundo Schnaider quando você se preocupa com as horas trabalhadas, com a segurança do motorista e consegue expor os dados em relatórios, tudo fica bem mais fácil durante um processo.

– Compliance: quando você tem um histórico de qual o tipo de direção praticada pelo motorista, isso permite que a justificativa de uma demissão, por exemplo, seja exposta. Com o dispositivo que recolhe informações por meio da Internet das Coisa (IoT) é possível puxar todo histórico do condutor, como má conduta ao volante.

Designed by @freepik / freepik
Designed by @freepik / freepik

–  Hora extra: isso é muito importante, pois com o monitoramento, é possível identificar com exatidão quanto tempo aquele funcionário ficou à frente do volante, evitando qualquer possível apontamento enganoso por ambas as partes.

– Excesso de jornadas: o gestor de frotas, em seu painel de controle, saberá exatamente quando a hora excedeu e quando está na hora de outro motorista assumir o volante, ou mesmo que aquele tem que descansar.

Esse benefício junto ao gestor de fadiga, que identifica comportamento de cansaço do funcionário, são fortes aliados para que não haja acidentes e nem cobranças indevidas.

– Intervalos não usufruídos: “eu não parava, não conseguia nem tirar minha hora de almoço”. Esse é o tipo de fala que não será mais ouvida.

Isso porque o dispositivo é capaz de expor quanto tempo o veículo ficou ocioso naquele dia. Por outro lado, funcionários terão seu horário de descanso garantido por lei.

– Adicional de insalubridade e periculosidade: a IoT é capaz de dar rotas inteligentes e menos perigosas, avisar ao motorista quando existem obstáculos a frente, e quando ele está dirigindo de forma imprudente. Todo esse contexto ajuda a proporcionar um ambiente mais salubre ao funcionário.                                                                         

Todas essas soluções, provenientes da tecnologia podem ser grandes aliadas à uma empresa em um tribunal, bem como ao funcionário.

É necessário garantir os direitos e a saúde dos colaboradores para que não haja nenhuma surpresa e reunir o máximo de informações comprobatórias em um processo.

Por Daniel Schnaider é CEO da Pointer by Powerfleet Brasil, líder mundial em soluções de IoT para redução de custo, prevenção de acidentes e roubos em frotas. Integrou a Unidade Global de Tecnologia da IBM e a 8200 unidade de Inteligência Israelense.