Para auxiliar as micro e pequenas empresas neste momento de crise mundial, originada pela pandemia do coronavírus (Covid-19), o governo federal criou o PRONAMPE – Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – instituído pela Lei nº 13.999 de 18 de maio de 2020. 

Inicialmente, através da MP 944/2020, foi criada uma linha de crédito para financiamento da folha de salários das empresas por um período de dois meses.

Porém, a quarentena já passa dos 100 dias e muitos empreendedores e empresários estão em situação extremamente complicada. 

“Desta forma, com a publicação da Portaria RFB nº 978/2020, o governo amplia o crédito às pequenas e médias empresas, que poderão utilizar este recurso para capital de giro, investimentos e folha de salários.

Isso permitirá que a pequena empresa possa comprar máquinas e equipamentos, realizar reformas, bem como, pagar as contas básicas da empresa – água, luz, aluguel, compra de matérias primas, produtos e, também, pagar os salários dos funcionários e demais encargos”, explicou o Professor Carlos Afonso, autor do livro Organize suas finanças e saia do vermelho. 

Quem pode recorrer a linha de crédito?

Podem solicitar o empréstimo do PRONAMPE, as micro e pequena empresas optantes ou não pelo Simples Nacional, constituídas antes do dia 31 de dezembro de 2019 e que tenham declarado no ano passado, se optantes pelo Simples Nacional, ou em 2018, se não optantes.

Também deverão ter receita bruta igual ou inferior a R$ 360.000,00, se microempresa; ou receita bruta superior a R$ 360.000,00 e igual ou inferior a R$ 4.800.000,00, se empresa de pequeno porte. 

Cada empresa poderá receber empréstimos de até 30% da receita bruta anual registrada em 2019.

Pronampe

Caso a empresa tenha menos de um ano de funcionamento, o limite do empréstimo será de 50% do capital social. 

Até 36 meses para pagar

As empresas que recorrerem ao PRONAMPE terão até 36 meses para reembolsar o governo, e um período de carência de oito meses para iniciar o pagamento do financiamento. 

“Os recursos recebidos pelo PRONAMPE servirão para o financiamento da atividade empresarial nas suas diversas dimensões, mas é vedada para distribuição de lucros e dividendos entre os sócios”, alertou o Professor Carlos, que além de educador financeiro, é contabilista e administrador. 

“A taxa de juros é de 1,25% ao ano, mais a taxa Selic, atualmente em 2,25% ao ano”, completou ele.

O Professor Carlos ainda destacou que faz parte do contrato deste empréstimo federal que as empresas contratantes deverão obrigatoriamente manter o número de funcionários existente na data da publicação da Lei nº 13.999/2020 (19/05/2020), até 60 dias após o recebimento da última parcela do empréstimo. 

A Receita Federal já começou a fornecer, por meio de comunicado eletrônico, as informações para as micro e pequenas empresas, que pode ser acessado no eCAC, com certificado digital. 

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. 

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. 

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Por Liberdade de Ideias