Prorrogação do auxílio emergencial para 2021 seria possível?

0

Administradores públicos estão defendo a extensão do auxílio emergencial para o 2021. Embora, o Ministro da Economia, Paulo Guedes tenha dito que não há nenhuma possibilidade do auxílio ser prorrogado para o ano que vem.

A iniciativa de prorrogar o auxílio foi adotada por um grupo de deputados federais, mas não parece ser bem vista entre o Congresso Nacional.

O impasse e confusão entre parlamentares e governo em relação a extensão do auxílio, está no motivo da dificuldades de encontrar forma de financiamento para o Renda Cidadã, o governo poderá se sujeitar a prolongar o projeto por um período ainda maior.
Os deputados federais defendem manter o programa como alternativa de política social.

Pesquisa da XP

Imagem: Agência Brasil

A XP Investimento realizou um levantamento que diz que, 45% dos deputados defendem a permanência do auxílio emergencial. Para a maioria deles, a alternativa é mais eficaz e prática tendo em vista já estar em vigor e beneficiando milhares de brasileiros.

A pesquisa ouviu 174 dos 513 deputados, entre os dias 14 e 30 de setembro. Sendo que 54% acha uma decisão viável a considerar a atual realidade econômica do governo e os demais 42% acreditam que a decisão pode ser pensada com alterações.

Entretanto, 16% defendem manter o programa do governo, mas que aconteçam alterações em seu modelo atual. Dentro deste grupo, 34% é oposição ao presidente Jair Bolsonaro, já os aliados são 10%.

Não se sabe se a pauta será encaminhada posteriormente, tendo em vista a aceitação recente de manter o programa até o mês de dezembro.

Alterações no valor do auxílio emergencial

De acordo com os deputados, uma das propostas defendida por 83% dos entrevistados da oposição seria a possibilidade de manter o projeto com um reajuste na quantia de R$ 300.

Para estes, o benefício deveria voltar aos R$ 600 ofertados inicialmente. Já 69% do grupo da posição defendem o novo valor afirmando que o governo não obtém recursos o suficiente para manter a pauta.

55% dos deputados são a favor das propostas feitas pelo Poder Executivo, enquanto 31% defendem um aumento. Outros 3% dizem que o repasse mensal deve ser reduzido e 12% não responderam ao questionamento.

Sobre o Renda Cidadã

Assim como aconteceu com o Renda Brasil, o novo programa Renda Cidadã está com dificuldades para sair do papel.

Para o novo programa que irá substituir o Bolsa Família, o governo já tentou retirar recursos dos precatórios e do Fundeb, o que não foi muito aceito, gerando muitas criticas.

Para por o Renda Cidadã em prática no mês de janeiro de 2021, há uma intenção de criar novos impostos ou de finalizar os descontos de 20% para quem fazia do IRPF na modalidade simplificada.

Edição por Jorge Roberto Wrigt Cunha – jornalista do Jornal Contábil