Protagonismo organizacional: Entenda o que significa e saiba como conquista-lo

Há alguns caminhos que levam a este objetivo, entenda

0

O termo “protagonismo” de uns tempos para cá tem ganhado força. No teatro, é o personagem principal, aquele que assume o papel de primeiro lugar em um acontecimento.

A palavra é formada pela junção de dois termos: proto, que significa primeiro ou principal e agon, que quer dizer luta.

Na Plano, assumimos projetos que englobam o desejo de empresas de assumirem o protagonismo no cenário organizacional, o que se resume no anseio de se destacar, de ser o principal no mercado.

Para muitos gestores, a principal meta é o destaque do negócio no mercado, e há alguns caminhos para se alcançar esse objetivo.

Quando se olha para o cenário de competitividade, pode-se pensar que ter um objetivo como esse é quase utópico, mas há alguns caminhos para alcançá-lo.

Protagonismo em quê?

Esse é o primeiro questionamento antes da empresa ir em busca do protagonismo organizacional.

Em qual área deseja ser destaque? Em sustentabilidade, em inovação, em lucratividade, em relacionamento com parceiros e clientes,  participação no poder de decisão de compra, etc.

Obviamente que essas áreas se correlacionam, mas é preciso ter uma meta estabelecida antes de trabalhar para que seja alcançada.

Apple, Google, Microsoft, Amazon, Facebook, Coca-Cola, Disney, Samsung, Louis Vuitton, estão entre as marcas mais valiosas do mundo e, em comum, contaram com mentes protagonistas, ou seja, com pessoas que transferiram para a marca o protagonismo que já vivenciavam interiormente.

Protagonismo começa no comportamento

O protagonismo se faz presente diante de um desafio claro (formação do antagonista) e não é um atributo necessário apenas no ambiente organizacional, deve ter início no comportamento dos profissionais.

Os profissionais protagonistas são aqueles que tomam atitudes e executam decisões, seja com foco em mudar uma situação ou para impedir uma mudança de algo que os agrada.

O comportamento protagonista pode ser confundido com arrogância, porque gera alto nível de autoconfiança e determinação.

Não conformismo com a mediocridade

Não se contentar com o básico, com o máximo que se pode fazer, é o mínimo para que o protagonismo possa se fazer presente.

A ideia de “fazer o que precisa ser feito” apenas para manter o emprego faz parte do que é conhecido como “cultura da mediocridade”, totalmente contrária ao protagonismo.

Muitos negócios que desejam assumir o protagonismo no cenário organizacional precisam fugir da mediocridade, ou seja, esse comportamento precisa ser erradicado em líderes  e colaboradores.

Mesmo as empresas que se encontram financeiramente saudáveis, ainda não estão satisfeitas em como são vistas no mercado.

Desejam se expandir, se destacar, ser referência em território nacional ou estrangeiro.

Na busca por protagonismo organizacional

A empresa que deseja protagonismo no cenário organizacional precisa buscar a conexão com parceiros estratégicos. 

Em 2017, a Apple e Accenture, fizeram uma parceria a fim de criar soluções de negócios iOS.

A ideia era ajudar empresas a transformarem a maneira como se relacionam com os clientes por meio de soluções inovadoras de negócios iOS.

O propósito é um fator imprescindível na busca por protagonismo, é preciso ter bem claro quais são os significados das ações.

É fundamental que a organização tenha pleno conhecimento sobre quais são as motivações mais autênticas que sustentam os seus projetos de vida. Qual a marca que a sua empresa deseja deixar no mundo?

A transformação ágil, ou seja, a aplicação de modelos ágeis de gestão é um dos caminhos para o alcance do protagonismo, empresas que desejam destaque no mercado, precisam estar prontas para lidar com as constantes e inesperadas transformações que ocorrem no mundo. Um bom exemplo é o que tem sido vivenciado por conta da pandemia de Covid-19.

Nesse cenário de caos (mundo VUCA), as empresas que souberam e têm lidado com leveza, se adaptando às mudanças à medida que são transformadas, com certeza já estão mais próximas de assumir um protagonismo no cenário organizacional.

Uma das chaves de destaque no mundo empresarial é a capacidade de lidar positivamente com o ambiente de caos que gera transformações.

Empresas que mudam, que estão se atualizando, buscando inovar, tentando a todo momento encontrar oportunidades de crescimento, lidando diretamente com estruturas complexas, estão no caminho do protagonismo no mercado.

Mudar é um dos caminhos para o protagonismo – Sensemaking

O sensemaking é uma ferramenta que pode ajudar a compreender o cenário da empresa, se utilizando de outros apoios como a etnografia,  a fim de compreender os fenômenos que têm ocorrido no negócio.

Sempre que se tratar de remodelação e de reestruturação organizacional, o sensemaking se faz necessário, ainda mais quando os líderes  não conseguem chegar a uma solução sustentável para o problema.

Se algo está incerto, obscuro, seja na cultura organizacional, nas interações com os clientes ou nos processos de produção, é preciso rever as práticas, fazer mudanças e aí entra o sensemaking.

No caminho dos problemas que precisam ser solucionados, esse é um instrumento importante, que pode ajudar empresas na ressignificação de seus processos e do seu SER organizacional, o que é fundamental se o objetivo é o protagonismo, um posicionamento de liderança no mercado.

Por Plano Consultoria, atuando no setor público e em grandes empresas, desde 2003.