Psoríase: Esclareça suas dúvidas sobre doença e sobre o tratamento!

“Na epiderme há a troca da pele a cada 25, 28 dias. Nas lesões da psoríase há uma produção acelerada da epiderme onde a pele é tocada a cada 5/8 dias.

A psoríase é uma doença de caráter crônico e inflamatório. A médica dermatologista Clessya Rocha explicou os sintomas da doença e quais as formas de tratamento.

Segundo a médica, a doença é caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas, que aparecem, em geral, no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

Além disso, algumas atitudes podem contribuir para o aparecimento ou agravar a doença. “Nós temos alguns gatilhos desencadeadores como o tabagismo. O álcool e o estresse também estão associados ao fator de piora.”

“Na epiderme há a troca da pele a cada 25, 28 dias. Nas lesões da psoríase há uma produção acelerada da epiderme onde a pele é tocada a cada 5/8 dias. E isso vai gerar uma placa ertitematosa e descamativa”, explicou.

Ainda segundo a Dra. Clessya, “pacientes com sobrepeso e obesidade, podem ter uma doença gravada pois essas células produzem interleucinas inflamatórias que são substâncias que vão piorar essas lesões.”

Sobre o tratamento, a dermatologista pontuou que quando se fala sobre a psoríase, não se foca somente em tratar as lesões com cremes e pomadas, mas o paciente como um todo.

“Precisamos orientar o nosso paciente a ter um estilo de vida anti-inflamatório. Isso significa que ele deve cuidar do sono para que ele tenha uma boa qualidade de sono, a alimentação… é necessário informá-lo que ele tem que evitar os alimentos inflamatórios e investir numa dieta anti-inflamatória, com vegetais, verduras, alimentos cozidos por exemplo. Esse é um ponto muito  importante pois pacientes com psoríase têm um risco aumentado de doença arterial coronariana.”

Além disso, a médica pontuou que “o estresse é um fator de piora importante, mas não só ele, assim como todo o estilo de vida do paciente”.

Clessya Rocha é uma médica formada pela Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP) e Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

Comentários estão fechados.