Quais são as principais informações usadas no Balanço Patrimonial?

Geralmente, o documento é criado a cada 12 meses; mas não há determinações que impeçam que o balanço seja feito antes.

O Balanço Patrimonial é um documento contábil fundamental para os negócios, através dele é possível analisar a saúde financeira do empreendimento e saber para onde são destinados os recursos. Ele ainda fornece dados para ajudar em um planejamento tático.

Sabendo disso, é possível entender porque ele é tão importante e assim tomar os devidos cuidados para evitar falhas ao fazer esse relatório.

Tire suas dúvidas sobre esse documento no artigo que preparamos. 

O que é o Balanço Patrimonial?

O Balanço Patrimonial considera todo o histórico de fluxo do negócio, a finalidade é apresentar a condição patrimonial do negócio. O Balanço Patrimonial mostra os ativos e passivos, e o patrimônio líquido da empresa.

O ativo simboliza os direitos e bens, como: móveis, imóveis e automóveis do patrimônio, dinheiro em caixa e contas bancárias e recebíveis a serem efetuados em curto prazo.

O passivo simboliza os deveres e obrigações, como: contas a pagar, impostos, materiais e/ou produtos comprados e folha de pagamento.

O patrimônio líquido por assuntos técnicos (a despeito de ser um dado positivo, contabilmente é devido pelo negócio aos sócios, por isso é colocado como dever) está estabelecido no passivo.

Quando o balanço deve ser elaborado?

Normalmente, o documento é criado a cada 12 meses; mas não existem determinações que impeçam que o balanço seja elaborado antes.

Conforme o  § 1º do artigo 176 da Lei 6.404/76, no término de cada exercício social, os empresários precisam apresentar vários demonstrativos financeiros, que tem como fundamentação de criação a escrituração contábil da empresa.

Quais são as informações que precisam constar no balanço?

O primeiro passo para a elaboração do Balanço Patrimonial é agrupar os dados da empresa, por esse motivo é de suma importância ter um relatório contábil completo, contendo os dados de todos os registros e transações financeiras do período.

Veja a seguinte fórmula para o relatório: 

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido 

Como é a estrutura dos ativos e passivos?

Para simplificar a análise é necessário separar ativos, passivos e patrimônio líquido:

Ativos circulantes 

São aqueles bens e direitos que podem ser transformados em valores no prazo máximo de um ano.

Ativos não-circulantes

São os bens e direitos que necessitam de mais de um ano para serem transformados em valores.

Passivo circulante

São todas as despesas, dívidas e deveres financeiros que têm prazo de vencimento em até um ano. 

Passivo não-circulante

São todas as dívidas, despesas e deveres financeiros que têm prazo de vencimento maior que um ano. 

Como podemos definir o Patrimônio Líquido?

É o resultado da soma de todos os recursos próprios da empresa. Para conseguir esse resultado, são levados em conta todos os valores referentes ao capital social, reservas de lucros, prejuízos acumulados, entre outros.

Veja a seguinte fórmula para Patrimônio Líquido 

Patrimônio Líquido = valor do ativo – valor do passivo

Quais são os outros fatores que devem ser considerados para a elaboração do Balanço Patrimonial?

Para a criação do balanço, outros fatores devem ser levados em consideração, como: Indicadores de renda (Giro de Ativos, Retorno sobre os Ativos e o Retorno sobre Patrimônio Líquido); Indicadores de liquidez (valores que podem ser dispostos em um curto período); Indicadores de dívidas (valor referente ao endividamento do negócio).

Como elaborar o documento?

Após reunir todos esses dados, é importante conferir, através dos cálculos, se a empresa teve prejuízos ou lucros em cada período.

Organize todas as informações como resultados positivos (quando houveram lucros) e negativos (quando houveram prejuízos).

Quais são os transtornos gerados para o empresário que não elaborar o Balanço Patrimonial?

Não elaborar o Balanço Patrimonial ou seus livros pode causar dores de cabeça para os empresários, como:

  • Dificuldade em acompanhar o desenvolvimento de sua empresa;
  • Impossibilidade de dividir os lucros e de usar dados fiscais e contábeis para a defesa da empresa, caso seja necessário.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Comentários estão fechados.