Qual é o capital de giro da sua empresa? Saiba como calcular

0

Para dar início às atividades de sua empresa, você precisa investir.

Mas saiba que existem dois tipos de investimentos iniciais: o primeiro relacionado aos equipamentos e materiais utilizados para o início das atividades.

O segundo se trata da reserva de recursos para ser utilizado de acordo com as necessidades do empreendimento, que é chamado de capital de giro. 

Por se tratar de um assunto importante para quem está começando seu próprio negócio, reunimos as principais informações sobre esse tipo de investimento que é considerado importante para manter a empresa em funcionamento.

Desta forma, o recurso pode ser utilizado da seguinte forma: 

  • Fazer a manutenção dos estoques;
  • Pagamento de fornecedores;
  • Pagamento de salários;
  • Pagamento de impostos;
  • Custear as despesas operacionais da empresa. 

Então, para que você conheça mais um pouco sobre a importância de saber qual é seu capital de giro, continue lendo este artigo.

Tipos de capital de giro

O capital de giro pode estar representado por dinheiro em caixa; produtos em estoque; ações ou títulos do tesouro; valores disponíveis em contas bancárias; além das contas a receber e outras situações que possam resultar na conversão em dinheiro para o pagamento das obrigações.

Desta forma, destacamos três principais tipos de capital de giro:

  • Capital de giro bruto e líquido;
  • Capital de giro permanente;
  • Capital de giro variável. 

Cálculo

O capital de giro é parte integrante de um planejamento financeiro adequado, o que garante a saúde financeira e sustentabilidade dos negócios.

Então, é preciso saber calcular o capital de giro para manter a organização da sua empresa, Diante disso, a primeira dica é manter um fluxo de caixa detalhado, além de saber os recursos e lucros da empresa e definir o tempo de duração do recurso para sua constante reposição.

Para calcular o capital de giro, deve-se subtrair o passivo circulante (PC) que representa fornecedores, contas a pagar, empréstimos, etc do ativo circulante (AC) que se trata do caixa, bancos, aplicações financeiras, contas a receber, etc.).

dívida união

Capital de Giro = AC – PC

Com base no valor do capital de giro, pode-se traçar a melhor estratégia para o seu negócio.

Veja um exemplo: 

Uma empresa tem: 

  • R$ 1 mil (contas a pagar);
  • R$ 1.100 (contas a receber);
  • R$ 250 (estoque);
  • Capital de giro: R$ – 350,00

Conheça alguns fatores que podem levar à diminuição do capital de giro: 

  • Redução de vendas
  • Crescimento da inadimplência
  • Aumento das despesas financeiras
  • Aumento de custos

Diante disso, para prevenir a redução do capital de giro, é importante que o empresário mantenha o controle da inadimplência, procure renegociar as dívidas da empresa para o longo prazo e faça a redução dos custos e despesas. 

O que acontece se eu não calcular? 

Os empresários que desconhecem seu capital de giro e não sabem fazer o cálculo,  acabam interferindo de forma negativa na operação do seu negócio e, por isso, será preciso buscar recursos de terceiros para manter sua empresa funcionando.

Mas sabemos que, ao buscar linhas de crédito em instituições financeiras para cobrir dívidas, podemos colocar em risco o empreendimento que deverá arcar com juros altos e termos mais severos dos contratos, o que pode resultar em um agravamento da situação de sua empresa.

Por isso, a dica é fazer o cálculo de forma correta e se prevenir da insuficiência do capital de giro. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda