Qual o custo de um funcionário do MEI?

Caso você queira saber como funciona o processo de contratação de um funcionário para o MEI, continue acompanhando!

Se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI) é uma excelente alternativa para aqueles que exercem atividade informalmente. Isso porque, além de garantir diversos benefícios previdenciários como a aposentadoria, auxílio-doença e o salário maternidade, ao se formalizar como MEI também é possível contratar um funcionário.

Falando na contratação de um funcionário, este é um dos temas mais complexos para microempreendedor, afinal, nesse caso é necessário se atentar a outros pontos que vão além do exercício da atividade. Sendo assim, caso você queira saber como funciona o processo de contratação de um funcionário para o MEI, continue acompanhando!

Qual o custo de um funcionário do MEI?

O microempreendedor individual possui a possibilidade de contratar até um funcionário, como mencionado acima.

O custo da contratação de um funcionário é de 11% sobre o salário que será pago, ficando da seguinte forma:

  • Encargo previdenciário de 3% que é de responsabilidade do empregador;
  • Depósito do FGTS, que será calculado à alíquota de 8% sobre o salário do empregado.

Processo de contratação 

Para realizar o processo de contratação sob regime da CLT os seguintes documentos devem ser solicitados ao funcionário:

  • Carteira de identidade;
  • CPF; 
  • Cartão PIS;
  • CTPS;
  • Certificado militar (para maiores de 18 anos);
  • Certidão de nascimento e casamento;
  • Declaração de dependentes (caso existam);
  • Exame admissional;
  • Declaração de rejeição ou de requisição do vale-transporte.

Com a documentação do funcionário em mãos, o MEI deverá elaborar um contrato de trabalho determinando todos os pontos de atividade exercida pelo colaborador. 

Além disso, o contrato deverá constar com as seguintes informações:

  • Data de admissão;
  • Remuneração;
  • Condições especiais (caso exista).
  • Preenchimento da guia do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço);

No caso da guia do FGTS a mesma será necessária para viabilizar o recolhimento mensal assim como a entrega das informações à Previdência Social por meio da GFIP, tal como para o registro no Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) e o Programa de Integração Social (PIS).

Dica Extra do Jornal Contábil: MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio. Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o governo, além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar.

Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com toda burocracia, risco de inadimplência e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta.

E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio.

Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!

Comentários estão fechados.