Qual o regime de tributação mais vantajoso para sua empresa?

0

Dentro do planejamento de uma pequena empresa, todo ano uma pergunta importante se repete: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido, qual é o regime tributário mais vantajoso? E essa dúvida não é tão simples de se solucionar, já que uma série de fatores está envolvida na escolha do regime de tributação

O primeiro ponto a se levar em consideração é o conjunto de regras que determina cada regime, em especial o limite de faturamento.

No Simples Nacional, podem se enquadrar apenas as empresas com até R$ 4,8 milhões de faturamento bruto anual.

Já no regime do Lucro Presumido, são aceitas empresas que faturam, no máximo, R$ 78 milhões anualmente.

Aquelas que faturam acima desse valor são automaticamente obrigadas a se enquadrar no Lucro Real.

No entanto, as diferenças entre os regimes de tributação vão muito além disso.

E neste texto queremos explicar mais sobre os detalhes de cada um deles, para que você possa compará-los e escolher o ideal para o seu negócio. 

Simples Nacional

Criado em 2006 para simplificar o pagamento dos impostos pagos pelas Micro e Pequenas empresas do país, o Simples Nacional apresenta como grande vantagem a possibilidade de efetuar o pagamento de tributos de forma unificada.

Por meio da DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) —  é possível recolher o IRPJ, a CSLL, o PIS, a Cofins, o IPI, a CPP, o ISS e o ICMS.

Outros benefícios destinados a quem está nessa faixa de tributação é a preferência das empresas em desempate de licitações e a não obrigatoriedade da contratação de Jovens Aprendizes.

Outro ponto importante a se atentar é a diferença de tributação. N

o simples, a alíquota varia de acordo com dois fatores: o setor da empresa (comércio, indústria ou serviços) e a sua faixa de faturamento.

Para mais detalhes, confira a tabela do Simples Nacional 2020.

Lucro Presumido

Nesse regime de tributação, tanto o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) quanto a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) têm uma margem de lucro pré-fixada por lei como base de cálculo.

A vantagem é que, se a empresa obter um lucro maior, a tributação será calculada com base apenas na pré-fixada.

Entretanto, o mesmo ocorre se, ao final do mês, o lucro for menor que a margem estabelecida: a cobrança será feita sobre o valor presumido.

Para as atividades industriais ou de comércio, a margem presumida é de 8%.

Nos serviços, o valor estabelecido aumenta para 32%.

O PIS e Cofins, por sua vez, são calculados cumulativamente, sem que as compras da empresa gerem abatimentos dos impostos.

A alíquota é de 3,65% sobre o faturamento.

Lucro Real

O cálculo do do PIS e Cofins, no Lucro Real, é feito com base em 9,25% do faturamento.

Entretanto, como sua incidência acontece pelo chamado regime não cumulativo, a empresa consegue descontar créditos gerados sobre outros fatos geradores, como o consumo de energia elétrica, por exemplo.

Já o cálculo do IRPJ e da CSLL é feito com base no Lucro Líquido da empresa.

Ou seja, o valor da tributação pode variar de acordo com os resultados da empresa — podendo até mesmo ser um valor zerado caso a empresa apure prejuízo no exercício.

No lucro real, entretanto, alguns custos adicionais são necessários para manter um controle contábil financeiro, já que o volume de informações repassadas ao fisco é maior.

Planejamento Tributário

O Planejamento Tributário é o nosso serviço que examina o último ano-calendário (12 meses) dos lançamentos fiscais e contábeis da sua empresa.

Com ele, identificamos qual o melhor e mais econômico regime de tributação para ela.

.

Quer saber mais sobre o Planejamento Tributário e como ele pode ajudar sua empresa a economizar nos tributos? Então clique aqui!

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por: Thiago Vargas

Fonte: Dr. Fiscal

Imagem: dr. fiscal saúde tributária