O Auxílio Emergencial foi prorrogado para mais duas parcelas de R$ 600 cada. O governo poderá dividir o pagamento dessas parcelas, em R$ 500, R$ 100, e duas de R$ 300.

O pagamento da quarta parcela do Auxílio Emergencial começa no dia 20 de julho. Os primeiros que irão receber a prorrogação do auxílio serão os beneficiados do Bolsa Família. As datas de pagamento vão seguir o calendário já existente do programa.

Os beneficiários do Bolsa Família com o número final de Identificação Social (NIS) 1, começarão a receber no dia 20 de julho. Já para quem tem o NIS com o final 2 poderão sacar o dinheiro no dia 21 de julho. O calendário continua na ordem do final do NIS, até o 0, pulando apenas o fim de semana. O pagamento vai até 31 de julho.

Não haverá alteração no calendário do Bolsa Família e nem nos valores, para o pagamento do Auxílio Emergencial. Os beneficiários deste grupo recebem o valor que for mais vantajoso, seja o referente ao auxílio emergencial ou ao valor já recebido antes da pandemia da covid-19.

Para as pessoas que não estão inscritas no Bolsa Família, o calendário da quarta parcela do Auxílio Emergencial, ainda não foi divulgado.

Elegíveis receberão todas as parcelas

O presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou a prorrogação do auxílio emergencial de R$ 600. O decreto prevê a prorrogação por mais dois meses. Inicialmente, o benefício foi criado para ter três parcelas, mas o governo decidiu prorrogar o auxílio por mais duas parcelas. O decreto foi assinado no dia 30 de junho.

Onyx Lorenzoni, Ministro da Cidadania, confirmou que quem for considerado elegível receberá as cinco parcelas:

“Nós tivemos problemas sim, em um programa dessa magnitude é normal, mas nós fomos superando as falhas. As cinco parcelas estão garantidas a todos aqueles que são elegíveis. Todos aqueles que estão dentro da lei, que têm direito, vão receber [o auxílio] com segurança e tranquilidade”, finalizou Lorenzoni.