O Brasil passa por um momento delicado do ponto de vista econômico. Não são raras as notícias apontando que diversos setores da economia estão revendo para baixo as estimativas de desempenho para 2015. Com os escritórios de contabilidade não é diferente. Como prestadores de serviços para empresas de vários segmentos e tamanhos, é esperado que as atividades realizadas pelo profissional contábil sejam afetadas pela diminuição do ritmo de seus clientes.

Pensando nisso, a Sage, líder global no mercado de softwares de gestão com foco em PMEs, separou algumas dicas valiosas para que os escritórios de contabilidade continuem crescendo mesmo nesse momento difícil da economia.

  1. Invista no relacionamento com os clientes
    Em momentos de crise, a manutenção da base de clientes é um ponto muito importante. Para isso, é recomendável melhorar a integração e o relacionamento entre o escritório e as empresas que ele atende. Em uma cidade como São Paulo, em que a distância e o trânsito dificultam a locomoção e, consequentemente, o contato presencial, programas que permitam a troca de documentos e informações e contato por meios virtuais podem ser uma boa solução para manter-se próximo aos clientes.
  2. Melhore o planejamento financeiro
    Acompanhar bem de perto a situação financeira da empresa deve sempre fazer parte da rotina do empresário. Em momentos em que a economia vai mal, isso se torna ainda mais necessário. Ou seja, controlar o fluxo de caixa, provisionar despesas e se preparar para aumentos sazonais de gastos devem receber muita atenção.
  3. Controle as tarefas do dia a dia
    Identificar oportunidades para otimização de custos é outra medida importante para quem quer evitar sofrer os efeitos da crise. Monitorar as atividades que cada colaborador do escritório está realizando é uma forma fácil de alcançar esse objetivo. Por meio desse mapeamento torna-se possível distribuir melhor as tarefas pendentes, evitar que alguns colaboradores fiquem sobrecarregados, garantir que os prazos sejam cumpridos e ter a certeza que a equipe está trabalhando com o máximo de eficiência.
  4. Mapeie a rentabilidade de cada cliente
    Saber quanto tempo dedicar a cada cliente e calcular os honorários de acordo com a exigência real de cada empresa é outra dica valiosa. É importante que os valores pagos sejam condizentes com os esforços empreendidos para atender as necessidades de cada conta. Nesse caso, vale um raciocínio simples: quem demanda mais, paga mais.

 

Sobre a Sage
A Sage estimula o sucesso de empresas e comunidades ao redor do mundo por meio do uso de tecnologias inteligentes e da criatividade das pessoas. Ao reinventar a forma de fazer negócios e levar energia, experiência e soluções inovadoras, a Sage inspira seus clientes a realizar seus sonhos. A empresa trabalha com uma rede próspera de empreendedores, donos de negócios, comerciantes, contadores, parceiros e desenvolvedores que conduzem a economia global para oferecer a seus clientes produtos e suporte em áreas como contabilidade, recursos humanos, folha de pagamento, planejamento de recursos e pagamentos. Com 14 mil empregados e operações em 24 países, a Sage faz parte do FTSE 100, índice que reúne as 100 ações mais representativas da Bolsa de Valores de Londres. A Sage chegou ao Brasil em 2012 com a aquisição das empresas IOB, Folhamatic, EBS e Cenize, além de já atuar no país com a operação da SageXRT desde 2007.

Mais informações em: www.sage.com.br

[useful_banner_manager banners=21 count=1]