Quem está desempregado pode receber bolsa de R$ 1.000. Confira

O programa de SP é destinado a pessoas em situação de vulnerabilidade e deve ser pago em duas parcelas de R$ 500. 

Com a crescente do desemprego no país, em decorrência dos impactos socioeconômicos oriundos da pandemia da covid-19, o governo do estado de São Paulo, junto a Secretaria do Desenvolvimento Econômico o Bolsa Empreendedor. 

A ideia do programa é destinar uma bolsa no valor de R$ 1.000 à desempregados ou empreendedores informais de baixa renda em vulnerabilidade. Além disso, a medida conta com outras duas alternativas para atender essa parcela, sendo a formalização como MEI (microempreendedor individual), ou cursos de qualificação empreendedora. 

Em relação aos cursos, estes serão parte do programa Empreenda Rápido, em parceria com o Sebrae. As aulas serão em formato remoto e presencial, contaram com uma carga horária de 20 hrs, de modo a totalizar uma semana de curso. As turmas serão divididas entre os meses de setembro e dezembro. 

Interessados poderão se inscrever no programa até o próximo domingo, dia 24 de outubro, através do portal Bolsa do Povo. Feito isso, basta aguardar o comunicado do programa para saber se você foi um dos selecionados, isto ocorrerá em 1.º de novembro por sms ou endereço eletrônico (e-mail). 

Quais são as regras do programa

Para participar do programa, é necessário que o interessado resida no estado de São Paulo, além de se encontrar em condição de vulnerabilidade social, possuir idade superior a 18 anos e estar desempregado ou ser MEI. 

Ademais, cabe salientar que o programa dá prioridade a determinados grupos visando uma maior inclusão e representatividade como, pessoas portadoras de deficiência,  mulheres, pessoas com idade entre 18 e 35 anos e pretos, pardos ou indígenas. 

É estimado pelo governo do estado de São Paulo que o programa irá impactar direta ou indiretamente cerca de 180 mil cidadãos paulistas.

Comentários estão fechados.