Quer alavancar seu escritório? Então é importante saber no que focar!

0

O que eu mais ouço na primeira reunião de consultoria é a preocupação e desejo de crescimento, o que é saudável e louvável, mas quando pergunto o que é crescimento as respostas são bem diferentes: aumentar o faturamento, atender mais clientes, criar novas áreas, aumentar o resultado anual, aumentar o número de advogados. Todas as respostas são válidas, mas não tem foco, são muito abstratas.

Para se atingir uma meta, esta deve ser objetiva e mais clara, por exemplo: faturar por ano R$ 2.000.000,00, dobrar o número de clientes em dois anos, atuar na área tributária, atingir R$ 250.000,00 de resultado livre no ano,  chegar a 30 advogados em 3 anos.

Qual destas formas é a mais adequada? Onde devemos focar? E aí vem a diferença entre os escritórios de advocacia: não existe o caminho certo ou o que não devemos tomar.

O que mais importa é o que o escritório deseja ser, como quer atuar, quem quer atender e como ser visto no mercado.

Todas as formas acima estão corretas, mas para atingir qualquer uma delas é preciso traçar estratégias claras, mostrar aos seus colaboradores qual o objetivo e engajar todos para atingir este resultado.

E quando falamos em estratégias passamos por todas as áreas jurídicas e administrativas do escritório: advogados focados e sabendo o que devem fazer para contribuir, departamento financeiro trabalhando em orçamentos e previsões, administrativo de olho em contratações e cursos de aperfeiçoamento, pessoal do marketing atento à divulgação do escritório (seguindo todas as regras da OAB), sem falar na parte de tecnologia que hoje é fundamental em qualquer escritório.

Vou dar dois exemplos. Um escritório familiar na região do Brás (bairro de muitas lojas e confecções em São Paulo) tem como objetivo se tornar referência na região atendendo pequenos e médios comerciantes nas áreas trabalhista, societária e tributária.

Outro escritório na região da Av. Paulista (um dos centros financeiros em São Paulo) quer faturar R$ 10.000.000,00 por ano, sendo 50% vindo de Arbitragem, com pelo menos 10 advogados especialistas. São dois exemplos completamente diferentes, mas que são no fundo o desejo, o sonho do advogado ou dos advogados que iniciaram o escritório.

Os dois terão muito trabalho pela frente, tendo de atuar em todas as frentes que citei acima. E qual deles terá mais sucesso? Aquele que atingir seu objetivo e estiver feliz com o serviço prestado para a sociedade. Mais uma vez, não existe o escritório certo ou errado. O que existe é o que escritório que você sonhou e te faz feliz.!

Por Fernando Magalhães é fundador e CEO da OM Assessoria, empresa especializada em gerar soluções claras para resoluções de problemas e para o desenvolvimento dos escritórios de advocacia, tanto financeiramente quanto qualitativamente.