Quero me demitir de maneira correta. Quais os meus direitos?

Saber como agir e quais os seus direitos trabalhistas são fundamentais

Imagine você trabalhando há anos em uma empresa, conseguindo subir de posto, um salário confortável, conquistado amigos e, de repente, querer sair para uma nova empreitada. Seja por uma nova oportunidade de trabalhar com salário mais alto, seja para abrir o próprio negócio, não importa. Sua decisão está tomada e você quer novos desafios.

Então surge a grande dúvida: como pedir demissão de uma forma amigável e correta com o seu empregador? Quais procedimentos seguir para garantir o recebimento correto das verbas de rescisão? Com quem falar sobre o assunto? 

Vamos dar algumas dicas que podem ajudar você a pedir demissão com tranquilidade e sem prejudicar a sua imagem de bom profissional diante do mercado. Além disso, você conhecerá os principais direitos de quem pede demissão e quais cuidados tomar.

Quais são os direitos de quem pede demissão?

É importante conhecer os seus direitos e saber quais são os cuidados que devem ser tomados nessa situação.As chamadas verbas rescisórias neste caso são o 13º proporcional ao período trabalhado, saldo do dalário e as férias. Vejamos.

13° salário proporcional

O 13° salário proporcional é um direito do funcionário. O valor será correspondente ao mês no qual a demissão foi pedida. Para saber o valor a receber, basta somar os meses trabalhados e calcular a equivalência com o valor do 13°. Por exemplo, se o colaborador pedir demissão no mês 5, ele receberá 5/12 do valor total do 13° salário.

Saldo de salário

O saldo de salário corresponde aos dias trabalhados no mês em que houve o pedido de demissão. Por exemplo, se você trabalhou por dez dias após a formalização do pedido, terá um saldo para receber equivalente a todos esses dias.

Férias

Nesse caso, é preciso que você saiba sobre o período de férias que tirou ou não, afinal, algumas considerações importantes serão avaliadas nas contas finais:

  • se você ultrapassou o período que determina a lei sem retirar as férias que são direito do trabalhador, você receberá pelas férias em dobro;
  • caso as suas férias estejam em dia, você não poderá usufruir desse direito, essa é a chamada “férias simples”;
  • caso o seu período aquisitivo ainda esteja decorrendo, o empregador fará a conta das férias considerando os 12 meses de trabalho, essas são as “férias proporcionais.”

É importante ressaltar que, como o pedido de demissão partiu de você, não haverá o direito ao FGTS e nem aos 40% de indenização que são reservados para a demissão de justa causa.

Como devo pedir demissão?

Como esse pode ser um processo delicado, é importante conhecer muito bem todas as ações a serem tomadas e buscar se precaver de qualquer imprevisto. Para isso, veja abaixo qual a maneira certa de pedir demissão.

  • Peça demissão ao seu superior direto – Evite fofocas e burburinhos que comprometam a sua imagem profissional. Seus colegas de trabalho não podem saber da novidade antes do seu chefe. Se você decidiu pedir demissão, guarde a informação com você até conversar sobre o assunto com o seu superior direto. Ele vai poder dar sequência ao pedido e orientá-lo sobre os próximos passos.
  • Explique o motivo da saída – As pessoas trocam de emprego pelos mais variados motivos e os gestores precisam ter maturidade profissional para compreender essas razões. Não é necessário inventar histórias para justificar a sua decisão.  Explique, de forma sucinta e profissional, as suas motivações para pedir demissão.
  • Peça demissão com antecedência – É natural que a sua ausência seja sentida no dia a dia de trabalho. Por isso, sempre que possível, é importante dar um tempo para que a empresa possa encontrar alguém para substituí-lo. A legislação trabalhista já prevê a possibilidade de aviso prévio de 30 dias com essa finalidade. Se você tiver a possibilidade de escolher, converse com o seu gestor e com o RH e cumpra o aviso prévio.
  • Formalize o pedido de demissão – É fundamental que você formalize o seu pedido de demissão em uma carta, que pode ser escrita de próprio punho. O documento é uma prova, tanto para o empregado como para o empregador, da data que o pedido de demissão foi feito, o que será considerado para os cálculos dos valores devidos pela empresa na sua rescisão.
  • Preserve a imagem da empresa – Uma vez feita a demissão, não saia por aí falando mal da sua antiga empresa para todo mundo. Esse tipo de atitude é encarado de um jeito negativo pelo mercado. Afinal, se você fala assim do seu antigo emprego, nada impede que faça o mesmo com o atual em uma possível demissão futura.

Ao sair da empresa que trabalhou, procure levar todo o ensinamento com você. Afinal, ela trouxe experiências fundamentais para que você se tornasse  o profissional que é hoje. Boa sorte em sua nova empreitada!

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.