A Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) divulgou a pesquisa Raio-x do Investidor – edição 2019. O estudo tem apoio do Datafolha e traça os hábitos de poupança e de dos brasileiros.

Os dados, levantados em novembro de 2018, revelam que no Brasil os poupadores preferem segurança à rentabilidade na hora de investir: 88% dos investidores optaram pela caderneta de poupança, seguida pela previdência privada (6%), títulos privados (5%) e fundos de (4%) na preferência nacional.

Fabio Louzada, economista e CEO da startup Eu Me Banco, acredita que existe um longo caminho de educação financeira a ser percorrido no país. “Isso passa não apenas pelo conhecimento do investidor, mas, sobretudo, pelo nível dos profissionais que o orientam. Esse é um dos motivos de eu ter resolvido sair do banco para formar profissionais especialistas na área de s”.

Os números reforçam o conservadorismo brasileiro na hora de investir. No total, 48% preferem constituir uma reserva financeira sem riscos a ter um bom retorno financeiro. Os títulos públicos, considerados um dos mais seguros para o perfil conservador, ao contrário do que a lógica indica, recebeu aporte de apenas 3% dos investidores.

“A poupança pagou por muito tempo 0,5% mais a taxa referencial ao mês, enquanto os juros estavam a praticamente 1% ao mês até pouco tempo. Mesmo assim, muitos optaram por manter a poupança. Temos um desafio muito grande, que vai além de comparar segurança com rentabilidade. É preciso falar de planejamento para aposentadoria, planejamento fiscal e sucessório, saber fazer uma boa gestão financeira”, alerta Louzada, que é credenciado a Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) e membro da Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

42% dos investidores buscam orientação com especialistas

A Anbima credita o baixo número de investidores em produtos financeiros à crise econômica e agravamento do desemprego. Segundo a pesquisa, apenas 8% dos brasileiros aplicaram em produtos financeiros em 2018, o que mostra grande falta de conhecimento sobre as características e rentabilidades das ofertas disponíveis no mercado.

“O mercado de s tem um grande potencial de crescimento no Brasil, mas para atender a demanda, planejadores financeiros, assessores e consultores de s precisam estar bem preparados. Acredito que a proporção de 88% que aplicam em poupança, é praticamente a mesma proporção de profissionais que não estão preparados para realizar todo o planejamento financeiro do investidor”, avalia Fabio Louzada, que lançará em breve pela Eu Me Banco o projeto Clube dos Especialistas em s.

popança

O estudo deixou claro que o profissional especialista em s permanece como peça central no processo de coleta de informações e tomada de decisão dos investidores, sendo a primeira opção para 42% das pessoas.

A pesquisa Raio-x do Investidor 2019 contou com a participação de entrevistados de todo o Brasil com mais de 16 anos, das classes A, B e C, economicamente ativas e que vivem de renda ou são aposentadas. Para mais informações, acesse o site da Anbima.

DICA EXTRA  DO JORNAL CONTÁBIL : MEI saiba tudo o que é preciso para gerenciar seu próprio negócio.  Se você buscar iniciar como MEI de maneira correta, estar legalizado e em dia com o , além de fazer tudo o que é necessário para o desenvolvimento da sua empresa, nós podemos ajudar. Já imaginou economizar de R$ 50 a R$ 300 todos os meses com contador e ainda ter a certeza que está fazendo suas declarações e obrigações de forma correta. E o melhor é que você pode aprender tudo isso em apenas um final de semana. Uma alternativa rápida e eficaz é o curso MEI na prática. Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que um MEI precisa saber para ser autônomo e nunca mais passar por dificuldades ao gerir o seu negócio. Quer saber mais? Clique aqui e mantenha sua empresa MEI em dia!