Recebo aposentadoria especial. Posso continuar trabalhando?

O INSS permite essa condição, mas é necessário seguir algumas regras.

Tem pessoas que não conseguem ficar paradas mesmo após a obtenção da tão almejada aposentadoria. Se sentir útil à sociedade e estar ativo são condições que fazem bem a um grupo de pessoas. 

Portanto, cabe a pergunta do título: posso continuar a trabalhar mesmo recebendo aposentadoria especial? Em regra, o aposentado especial pode continuar trabalhando, desde que não seja em atividades insalubres ou perigosas. 

Acompanhe conosco mais detalhes sobre o assunto.

O que é a aposentadoria especial?

A aposentadoria especial é um benefício do INSS para as pessoas que trabalham em condições que podem causar prejuízos à sua saúde e integridade física.

Portanto, é considerada a sua exposição a agentes químicos, físicos e biológicos prejudiciais à saúde. Também é considerado o extremo calor, frio ou ruído e, ainda, os perigos que o trabalhador corre durante as suas atividades laborais.

Na aposentadoria especial é preciso cumprir um tempo menor de contribuições para o INSS, ou seja, os anos em que o segurado paga o INSS são reduzidos.

Quem tem direito a aposentadoria especial?

Até 1995, existia a lista das profissões que davam direito a aposentadoria especial, como profissionais da saúde, bombeiros, metalúrgicos, telefonistas e outros. Com isso, o trabalhador teria apenas de comprovar que trabalhou em uma dessas profissões por 15, 20 ou 25 anos, dependendo da profissão.

Atualmente, a aposentadoria especial é aprovada se for comprovado que a pessoa trabalha em atividades expostas a agentes prejudiciais à sua saúde e integridade física.

O tempo de pagamento, ou de contribuição para o INSS, continua em 15, 20 ou 25 anos, variando de acordo com os agentes que o trabalhador foi exposto.

Aposentado especial pode continuar trabalhando?

Como falamos no início do texto, o aposentado especial pode continuar trabalhando, sim, desde que não seja em atividades insalubres ou perigosas. Ou seja, em condições que podem causar prejuízos à saúde e integridade física.

Portanto, não é possível continuar no exercício daquelas atividades que geraram a aposentadoria especial. Porém, o segurado pode exercer atividades comuns, mas que não tenha contato com condições insalubres ou perigosas.

Mas atenção! Se optar por continuar ou retornar ao exercício das atividades especiais, o pagamento da aposentadoria especial será cancelado de forma automática.

Isso significa dizer que o trabalhador não terá mais direito ao benefício do INSS e receberá apenas o salário referente a atividade desempenhada.

Isso ocorre porque a aposentadoria especial é liberada justamente para preservar o bem-estar, integridade e saúde deste trabalhador que ficou em contato com agentes insalubres.

Portanto, pense bem antes de tomar qualquer atitude. É certo que ficar parado é ruim. Mas perder esta aposentadoria especial também pode ser ruim para o orçamento familiar. 

Por: Ana Luzia Rodrigues

Dica Extra do Jornal Contábil: Compreenda e realize os procedimentos do INSS para usufruir dos benefícios da previdência social. 

Já pensou você saber tudo sobre o INSS desde os afastamentos até a solicitação da aposentadoria, e o melhor, tudo isso em apenas um final de semana? Uma alternativa rápida e eficaz é o curso INSS na prática

Trata-se de um curso rápido, porém completo e detalhado com tudo que você precisa saber para dominar as regras do INSS, procedimentos e normas de como levantar informações e solicitar benefícios para você ou qualquer pessoa que precise. 

Não perca tempo, clique aqui e domine tudo sobre o INSS.

Comentários estão fechados.