Segundo dados da Receita Federal, atualmente são encontrados fraudes em aproximadamente 25% dos procedimentos fiscais realizados no Brasil. Isso significa que, dentro do ambiente corporativo nacional, um em cada quatro procedimentos fiscais possui alguma falsificação passível de autuação.

Como resultado para esse cenário, o volume de autuações está cada vez maior: em 2017, o órgão registrou o montante de R$ 204,99 bilhões em créditos tributários – maior marca registrada desde 1968.

Crise financeira

Uma pesquisa internacional realizada pela Associação de Examinadores de Fraudes (ACFE, na sigla em inglês), destaca que o principal responsável pelo crescimento das fraudes fiscais em empresas é a recessão econômica.

Batizado de ‘Fraude Ocupacional: Um estudo do impacto de uma Recessão Econômica’, a pesquisa apontou que os períodos de recessão estimulam um aumento das fraudes corporativas.

“Funcionários leais têm contas a pagar e famílias para alimentar. Em uma boa economia, eles nunca pensariam em cometer fraudes contra seus empregadores, mas especialmente agora, as organizações devem ser vigilantes, garantindo que os procedimentos adequados de prevenção de fraudes estão em vigor”, aponta o presidente da ACFE, James Ratley.

2ª fase do eSocial para empresas com faturamento até R$ 78 milhões já está valendo

Fiscalização intensa

De acordo com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, a forma encontrada pelo órgão para lidar com esse crescimento é intensificar não apenas o combate em si das fraudes, mas ampliar também a discussão de como melhorar o sistema tributário brasileiro.

“Unir imposto sobre consumo e ter uma regulação centralizada seria a reforma ideal [do sistema tributário]. Mas é factível? É viável para os estados, que, pelo princípio federativo, têm o poder de tributar? Temos que buscar realismo”, explica.

Ajuda de especialistas

Em muitos casos, ainda segundo a Receita Federal, é comum a fraude fiscal partir das empresas de consultoria, que se aproveitam da falta de conhecimento tributário de empresários para prometer grandes reduções no pagamento de impostos. Essa prática é conhecida como “Milagres Tributários”.

Portanto, para evitar esse tipo de situação, é fundamental que as empresas busquem apoio de profissionais sérios e especializados antes de adotar qualquer mudança tributária em seu negócio. Esses especialistas é que vão indicar práticas e ações adequadas para cada companhia, além de encontrar eventuais erros que podem gerar multas e autuações.

Confira o treinamento mais completo do mercado sobre rotinas fiscais para escritórios de contabilidade. Aprenda como fazer a rotina fiscal de empresas do Simples Nacional e Lucro Presumido, conteúdo super prático e detalhado. Clique aqui e conheça!

Conteúdo original via Escritório Prado

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.