Recuperação judicial: Houve aumento dos pedidos pelas empresas

0

Com o atual cenário de crise econômica no país e as dificuldades financeiras que muitas empresas estão enfrentando, o tema ‘Recuperação Judicial‘ voltou às capas dos jornais.

Segundo informações do serviço de proteção ao crédito Boa Vista, os pedidos aumentaram 68,6% em maio, comparado com o mês anterior, e as recuperações judiciais deferidas chegaram a 61,5%.

Seja na posição de devedor ou de credor, o processo de recuperação judicial sempre permeia a vida do head financeiro que precisa estudar criteriosamente todas as possibilidades para a reestruturação da organização.

Em 2019, a quantidade de empresas que entraram com o pedido de recuperação chegou a 1,4 mil e, segundo especialistas, esse aumento está diretamente relacionado ao Produto Interno Bruto (PIB).

Com projeção de queda de 5%, segundo Fundo Monetário Internacional (FMI), neste ano o número de pedidos pode bater o recorde e ultrapassar 2,5 mil.

O processo de Recuperação Judicial visa proteger as empresas da falência, garantindo a conservação de empregos, geração de impostos e estimulo à atividade econômica, dando subsídio legal para que os empresários tomem medidas de reestruturação e recuperação de crédito.

Contudo, para os profissionais da área de finanças os desafios são ainda maiores nesse momento de crise.

Com o incremento dos pedidos de recuperação, equilibrar o caixa das empresas num ambiente vulnerável e incerto têm sido as maiores dificuldades dos gestores que, muitas vezes, se encontram desprovidos de recursos.

Diante disso, a Câmara de Deputados aprovou o Projeto de Lei 1397/20 que propõe regras transitórias para os pedidos de recuperação judicial durante a pandemia, flexibilizando diversos pontos da atual Lei nº 11.101/05, que diz respeito ao tema.

Surgem então perguntas como: Qual é o momento exato para entrar com a RJ? Quais as dificuldades de enfrentar este processo? Como equilibrar o caixa neste ambiente vulnerável e incerto? Como lidar com clientes e fornecedores em RJ?

Com objetivo de esclarecer as dúvidas de empreendedores e profissionais da área de finanças sobre o processo de recuperação judicial em meio à crise, o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Paraná (IBEF-PR) irá realizar um webinar no dia 30 de junho, com a participação de CFOs de empresas nacionais, um especialista em FIDC e um representante do judiciário para debaterem o assunto.

Por IBEF-PR, Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Paraná (IBEF-PR) é uma instituição sem fins lucrativos, que congrega executivos de finanças dos vários segmentos da atividade econômica do Paraná: executivos das áreas de indústria, comércio, consultorias, empresas de serviços, auditorias, instituições financeiras (bancárias e não-bancárias) e instituições governamentais.