Para esse ano não há muitas mudanças relacionadas às regras do regime tributário utilizado por Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, conhecido como Simples Nacional, o que facilita o planejamento tributário das empresas.

Contudo, é preciso prestar atenção em algumas alterações. Quer saber quais são elas? Neste artigo, mostramos tudo. Confira!

Entenda o que é o Simples Nacional

O Simples Nacional é o Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, conforme consta no documento disponibilizado pelo site da Fazenda.

Esse regime tributário simplificado tornou a arrecadação de tributos e contribuições menos burocrática. Por meio de um documento único de arrecadação, o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) é possível recolher impostos como:
 

→ IRPJ;
→ IPI;
→ ICMS;
→ ISS.


E contribuições como:
 

→ CSLL;
→ COFINS;
→ Para o PIS/PASEP;
→ Para a Seguridade Social.

Confira as novidades do Simples Nacional 2019

O limite de faturamento foi reajustado, agora o Simples Nacional 2019 conta com a ampliação do teto da receita bruta anual.

Confira os novos valores:

  • Microempreendedor Individual (MEI): seu faturamento anual deve ser de até R$ 81 mil;
  • Microempresa (ME): limite de faturamento de R$ 360 mil por ano;
  • Empresa de Pequeno Porte (EPP): limite de faturamento de R$ 4,8 milhões por ano.

Ao dividir os valores por 12 meses, você pode ter uma noção de onde seu negócio se enquadra, por exemplo: de modo geral, para não ultrapassarem os limites anuais estipulados, MEIs podem faturar cerca de R$  6,75 mil por mês, MEs podem faturar cerca de R$ 30 mil por mês e EPPs podem faturar cerca de R$ 400 mil por mês.

Além disso, é fundamental conhecer as alíquotas e tabelas de impostos já estipuladas para o simples nacional 2019.

De 20 faixas de faturamento, agora há apenas 6. Além disso, há 5 anexos disponibilizados referentes aos setores empresariais, os quais indicam informações como Receita Bruta em 12 meses (em R$), Alíquota Nominal e Valor a Deduzir (em R$), confira: Anexo IAnexo IIAnexo IIIAnexo IV e Anexo V.
 

E o Fator R do Simples Nacional 2019, como é calculado e como se relaciona com esses anexos?

O cálculo do Fator R é necessário para saber se empresas que exercem determinadas atividades se enquadram no Anexo III ou no V. É preciso somente dividir o valor da folha de pagamento dos últimos 12 meses pelo faturamento desse mesmo período, ou seja, pelo faturamento anual.

Veja o que diz os resultados:→ resultado igual ou superior a 28%: sua empresa pertence ao Anexo III;
→ resultado abaixo de 28%: sua empresa pertence ao Anexo V.

Como o valor das alíquotas é variável, recomenda-se que os cálculos sejam feitos todos os meses, pois a tributação pode oscilar entre 6% e 15,5%, o que pode gerar uma economia significativa.
 

Confira algumas atividades sujeitas ao Fator R em 2019:
 

→ Fisioterapia;
→ Academias;
→ Medicina veterinária;
→ Jornalismo e Publicidade;
→ Arquitetura e Urbanismo;
→ Psicologia e Psicanálise etc.

Veja os benefícios para as empresas

Além de contarem com um regime tributário conhecido por eliminar burocracias do caminho, as empresas se beneficiam com a ampliação do teto da receita bruta anual.

E com o que mais elas se beneficiam? Veja:→ novas atividades enquadradas no regime (que já haviam sido permitidas em 2016);
→ realização de atividades de maneira eletrônica para empresas que prestam serviços de logística internacional;
→ definição da atividade de investidor-anjo;
→ PERT-SN (Programa Especial de Regularização Tributária do Simples Nacional), o qual permite o parcelamento de dívidas referentes ao regime.

Enfim, sabemos que irregularidades comprovadas pela Receita Federal podem gerar transtornos e até remover algumas empresas do regime do Simples nacional, não é?

Para se certificar de que todos os dados estejam sempre corretos, é importante contar com um sistema de controle financeiro, especialmente um que possa ser integrado ao sistema contábil de seu contador.

Processos eficientes facilitam a administração do negócio e auxiliam a mantê-lo em conformidade com as alterações do Simples Nacional 2019.

Por isso, gestores conscientes e contadores já sabem: é fundamental ficar de olho nas mudanças relacionadas às legislações fiscal, contábil, trabalhista, entre outras, e manter os processos internos do seu negócio otimizados.

Dica: Atenção você contador ou estudante de contabilidade, conheça nosso treinamento voltado para contadores iniciantes, ensinando na prática procedimentos contábeis que todo contador precisa saber, mas que não se ensina na faculdade.

Tudo que você precisa saber para abrir, alterar e encerrar empresas, além da parte fiscal de empresas do Simples Nacional, Lucro Presumido e MEIs, Contabilidade, Imposto de Renda. Quer saber mais? Então clique aqui e não perca esta oportunidade!

Conteúdo original Gestão Click