Todo relatório contábil, além de ser um componente essencial na contabilidade da empresa, é uma ferramenta gerencial que pode ajudar a acompanhar indicadores financeiros e de desempenho do seu negócio. Portanto, você deve encará-los também como ferramentas de auxílio à gestão.

Neste post, vamos mostrar os principais indicadores desses relatórios que devem ser acompanhados, e como são úteis para o gerenciamento da empresa. Confira!

Balancete de verificação

O balancete de verificação não é um relatório contábil da escrituração como outros que veremos a seguir, e que são documentos oficiais. Esse relatório serve para verificação do que está sendo escriturado.

Por meio dele, os lançamentos do período são analisados e é possível perceber se os saldos das contas contábeis batem. Isso porque os débitos e créditos da contabilidade, pelo método de partidas dobradas de lançamentos, devem ser iguais.

O balancete também serve de ferramenta gerencial: como o relatório exibe também o saldo anterior de cada conta, além das últimas movimentações, você pode utilizá-lo para comparar os últimos movimentos de receitas e despesas com o acumulado anterior.

Outra utilidade do balancete é analisar recebíveis e despesas futuras em valores provisionados para projetar o fluxo de caixa e fazer outras previsões.

Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido (DMPL)

Conforme a legislação, a demonstração é obrigatória apenas às organizações de capital aberto. Mas todas as demais empresas podem mantê-la para terem um relatório específico que acompanhe o patrimônio.

A DMPL exibe as mudanças no patrimônio líquido em relação aos anos anteriores por meio das seguintes informações que impactam no seu resultado:

  • lucro ou prejuízo de exercício anterior;
  • valor dos ativos (caixa, contas bancárias, máquinas, equipamentos, investimentos, recebíveis de curto prazo, imóveis, veículos e outros bens);
  • capital social;
  • distribuição de lucros aos sócios;
  • outras destinações de lucros.

Naturalmente, a demonstração de cada ano deve ter o resultado final maior do que as de anos anteriores. Do contrário, é preciso verificar os motivos do não crescimento do patrimônio, o que pode ocorrer pela saída de um sócio e nem sempre por problemas gerenciais ou nas vendas.

Demonstração de Resultado do Exercício (DRE)

A DRE é emitida anualmente, no fechamento da contabilidade. Porém, visando uso gerencial, o relatório pode ser obtido mensalmente. Exibindo despesas, receitas e lucros bruto e líquido, a DRE funciona como uma espécie de fluxo de caixa contábil para o período.

Além de evidenciar o resultado do negócio, ajuda você a avaliar suas vendas e despesas individualmente, e na comparação do cenário geral. Esse relatório também auxilia no acompanhamento de indicadores como:

  • retorno sobre ativos: é o valor do resultado final dividido pelo valor dos ativos, indicando quanto seu negócio tem de retorno sobre os bens;
  • margem líquida: é o cálculo que demonstra o lucro gerado em cada venda, resultado da divisão do resultado final da DRE pelo faturamento bruto que consta nele.

Balanço Patrimonial

O Balanço deixa claro qual é a situação do patrimônio considerando as movimentações desde a abertura da empresa até os componentes de ativo e passivo.

No ativo temos os bens e direitos: dinheiro em caixa e contas de banco, contas a receber no curto prazo, imóveis, veículos e outros bens. Já no passivo ficam as obrigações, como impostos, folha de pagamentos e outras contas a pagar.

Além disso, o Balanço Patrimonial conta com o resultado do patrimônio líquido, que é o total do ativo subtraído do total do passivo. Tecnicamente, o valor do patrimônio tem de ficar no grupo passivo, pois é uma obrigação devida pela empresa a você, mas é um resultado positivo dela. O balanço auxilia ainda a:

  • confrontar recebíveis e pagamentos próximos para analisar possíveis investimentos;
  • visualizar o crescimento da empresa comparando relatórios de anos distintos;
  • identificar impostos a recuperar;
  • avaliar possível desvalorização de bens.

Seja qual for o relatório contábil visualizado, sempre utilize-o para qualificar a gestão do negócio, pois a escrituração não é apenas uma obrigação legal e não pode ser somente emitida e armazenada.

Via Progresso contabilidade

Comente no Facebook

Comentários