A contabilidade é o fato central que auxilia no desenvolvimento e organização de uma empresa que se preze.

Desde a abertura de um empreendimento, são gerados diversos relatórios contábeis que permitem a identificação de problemas, bem como, de soluções correspondentes e atuais.

Entretanto, cerca de 70% das micro e pequenas empresas não se apoiam nestes dados de contabilidade, segundo informado em uma pesquisa da Federação Nacional de Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon).

O que são os relatórios contábeis?

Também conhecidos por informes ou demonstrativos contáveis, os documentos são um detalhamento de informações socioeconômicas e financeiras de uma empresa por determinado período.

Estes dados permitem o controle de despesas, acompanhamento da rentabilidade, bem como, a diminuição de impostos, além de proporcionar maior entendimento sobre o estado patrimonial do negócio.

É recomendado que o relatório contábil seja feito ao menos uma vez por ano, independentemente do porte do empreendimento.

Principais relatórios contábeis

Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE): o documento tem o objetivo de comprovar a receita líquida da empresa sobre um determinado período.

Portanto, este relatório reúne o valor conquistado pelo empreendimento através das vendas, após a consideração de todas as características.

O DRE é obrigatoriamente destinado à todas as empresas, normalmente feito em planilhas no Microsoft Excel.

É por ele que se retira o montante inicial dos valores relativos aos custos de produção, bem como, despesas operacionais, impostos pagos e participações societárias.

Este relatório também é responsável pelo fornecimento do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL).

Balanço Patrimonial (BP): este relatório compreende a apresentação do patrimônio líquido da empresa após os passivos, como as contas a pagar e demais débitos deduzidos dos ativos (contas a receber, instalações, etc).

Relatórios Contábeis

Nesta modalidade, enquanto os ativos geram lucros, os ativos condicionam os gastos.

Sendo assim, o BP também atua na orientação sobre a extensão dos bens e recursos disponíveis.

Este controle beneficia tanto o empreendedor quanto o Fisco, permitindo a averiguação da postura aderida pelo gestor.

Demonstrativo de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA): sendo extremamente importante para destacar as mudanças e aplicações do patrimônio líquido de uma empresa por certo período, o DLPA, também possibilita a identificação da origem dos recursos da empresa, bem como, o estudo de sua gestão.

O documento é o resultado das conquistas do DRE e do BP, considerados obrigatórios a sociedades limitadas.

Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC): este relatório é obrigatório às PMEs, responsável por controlar as entradas e saídas de saldos, ainda que não permita a identificação do lucro obtido.

O DFC compreende os períodos mais curtos, por vezes, mensais, ao verificar a quantidade de verba disponível no caixa da empresa, além de analisar as aplicações financeiras disponíveis.

DICA EXTRA JORNAL CONTÁBIL: Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

O nosso parceiro Viver de Contabilidade criou um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.