É preciso que todos saibam que, para conseguir um benefício social do governo, será necessário estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico). É através dele, que o governo consegue identificar e caracterizar as famílias de baixa renda.

Com o CadÚnico, é possível identificar as famílias que necessitam de ajuda, e o governo conheça a realidade de cada uma, se há pessoas na extrema pobreza e como vivem. O cadastro contém informações como identificação de cada membro da família, escolaridade, trabalho e renda e características da residência.

O Governo Federal está prometendo colocar em prática um novo programa, o Renda Brasil, que terá como missão, unificar o Bolsa Família, abono salarial e outros benefícios sociais.

Renda Brasil

O Renda Brasil irá unificar quatro programas (Bolsa Família, seguro-defeso, abono salarial e salário-família). A intenção é criar uma marca social para o governo do presidente Jair Bolsonaro e se livrar da herança deixada por Lula, que criou o Bolsa Família.

bolsa familia

Mas, fique sossegado, o Bolsa Família não vai acabar, na verdade será substituída pelo Renda Brasil. As famílias inscritas no programa vão apenas migrar para o novo benefício.

Ao unificar os programas sociais, será possível aumentar os recursos e distribuí-los. O que vai permitir um aumento no valor do benefício, que poderá ficar entre R$ 250 e R$ 300, de acordo com o Ministério da Economia.

O número de pessoas assistidas também deve ser maior no Renda Brasil. Estima-se que a população beneficiada será de mais de 40 milhões.

Ainda não existem regras para receber os pagamentos do novo programa, até porque, ele ainda não saiu do papel. O que se pode dar como certo, que para participar do novo programa, será necessário estar inscrito no CadÚnico, além da inscrição no Bolsa Família.

Como se inscrever no CadÚnico?

Para você se inscrever no Cadastro Único (CadÚnico) deverá procurar um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Lá, você será orientado sobre como proceder, e em alguns casos, o próprio CRAS poderá fazer o cadastro.

Nesse caso, um membro da família se responsabilizará em repassar todas as informações e documentos necessários para o entrevistador. Somente pessoas acima de 16 anos e, de preferência, ser mulher, podem ir ao CRAS para fazer os procedimentos.

A Caixa Econômica Federal é responsável pela manutenção do cadastro, e o Ministério da Cidadania, pela gestão das informações.

Toda pessoa inscrita no Cadastro Único, deve fazer uma atualização de seus dados de dois em dois anos. Quem deixa de fazer a atualização, corre o risco de ter seu benefício suspenso em caso de inconsistências cadastrais. Devem sempre ser atualizados, endereço (se houver mudança), emprego ou renda.