Rotatividade nos escritórios contábeis: Motivos para a saída de colaboradores

0
193

Deixar um emprego e partir para um novo desafio é uma decisão difícil a ser tomada. Afinal, o profissional se desligará de um ambiente já conhecido para iniciar uma jornada em um novo lugar, com pessoas desconhecidas e muitas vezes, nova cultura. Mesmo assim, essa muitas vezes é a escolha dos colaboradores no escritório contábil, por razões diversas.

O fato é que um tripulante abandonar o navio é motivo de preocupação!

Para o empresário contábil, perder um membro da equipe não apenas significa o início de um trabalhoso processo seletivo. Mas deve servir de alerta para a necessidade de rever os conceitos de gestão de equipe.

As dificuldades da perda de um colaborador

Você sabe bem os esforços necessários no treinamento de um novo colaborador: não só investimento monetário, mas também de tempo. É necessário que você mesmo (ou um funcionário com mais tempo de casa) dedique boa parte do dia para ensinar todos os processos necessários.

Por mais que o trabalho de um contador possa parecer operacional, você sabe que não é bem assim. A curva de aprendizagem — tempo que se leva para realizar com perfeição determinada tarefa — pode ser grande e afetar a operação de todo o escritório de contabilidade.  

produtividade do escritório demora a aumentar e quando todos os processos estão funcionando, na sua opinião, como um relógio suíço, outra pessoa desfalca o time.

Aí vale uma importante reflexão: Você sabe quais são os motivos de um funcionário trocar sua empresa por outra?

Se você demorou para pensar em respostas é necessário então começar a prestar mais atenção na gestão da equipe. Sim, o erro pode ser seu em acreditar que as coisas estão ‘azeitadas’, funcionando bem.

Os clientes podem não reclamar do atendimento e os trabalhos são desenvolvidos com perfeição, porém o ativo mais importante da empresa: as pessoas, não estão contentes. Claro que é impossível ter um ambiente de trabalho perfeito, porém existem formas de minimizar esse quadro.  

Para te ajudar, listamos 5 motivos que levam a um colaborador pedir demissão, e algumas dicas para evitar isso.

1. Estagnação na carreira e falta de desafios

Quem quer fazer a mesma coisa por anos a fio e não se sentir desafiado? Essa questão tanto incomoda que foi relacionada entre as 10 maiores razões por que as pessoas mudam de emprego, segundo uma pesquisa do LinkedIn. E por mais que a contabilidade seja cheia de atividades operacionais, é possível sempre fazer mais.

Assim que se domina um trabalho, com o passar do tempo, a função começa a ser realizada de maneira mecânica. Sem incentivos e desafios, as novas ideias começam a diminuir – até acabarem por desaparecer.

Os colaboradores vão sentir-se instigados quando envolvidos em novos projetos que compreendam, por exemplo, novos serviços a serem oferecidos aos clientes. Será um recomeço para cada um deles!  

Além disso, trabalhar com um planejamento de carreira também ajuda. Não precisa ser algo muito complexo, mas dar aos colaboradores visibilidade de onde eles podem chegar na empresa ajuda bastante no quesito motivação.

2. Não sentir-se valorizado

Não há nada pior do que sentir que o trabalho não faz diferença nenhuma para a empresa. A partir do momento que um colaborador começa a ter esse tipo de pensamento, o caminho para começar a enviar currículos e fazer entrevistas é inevitável.

Mas é possível reverter esse quadro! Além de dar mais atenção ao seu trabalho, enaltecendo suas conquistas, o responsável pela gestão de equipe precisa trazê-lo para mais perto da empresa. Oferecer treinamentos e dar feedbacks tanto para críticas construtivas quanto para elogios é um bom caminho. Ele se sentirá mais valorizado e trará melhores resultados para a empresa.

3. Não conseguir executar as tarefas

Enquanto alguns colaboradores dominam tão bem suas tarefas que estão cansados de fazer a mesma coisa todos os dias, outros simplesmente não conseguem realizá-las. E os motivos são os mais diversos como dificuldades em entender o que precisa ser feito, por falta de conhecimentos técnicos ou de tempo mesmo.

Uma saída é desenvolver ações voltadas para a organização de processos e identificação dos perfis que melhor se adequam a cada função. A tecnologia pode ajudar a trazer mais eficácia no desempenho do trabalho. Seja com aplicativos que tragam mais eficiência a rotina ou com um software que automatize as muitas funções operacionais.  

4. Lidar com assuntos de alta complexidade e estressantes

O trabalho que uma contabilidade desempenha pode ser comparado, guardadas as devidas proporções, ao de um cirurgião. Ambos os profissionais lidam com assuntos de alta complexidade e são responsáveis pela saúde dos clientes.

Como um erro pode ser fatal, é importante que cada profissional  esteja preparado para assumir as responsabilidades do seu cargo. Afinal, não tem como designar uma tarefa muito complicada para um profissional júnior, não é mesmo?

E a pressão em épocas de fechamento? Cada pessoa lida de maneira diferente sob pressão. Em um escritório de contabilidade, onde muitas vezes os clientes mandam as informações em cima da hora e precisam dos resultados para ‘ontem’, fica difícil lidar com tranquilidade.

Há alguns anos um estudo da Career Builder, nos Estados Unidos, destacou a relação entre trabalho, estresse e a silhueta dos profissionais. A pesquisa revelou que que 66% dos profissionais muito estressados estão acima do peso. E os profissionais de prestação de serviços estão no topo da lista, o que inclui a contabilidade.

Uma maneira de fazer com que os colaboradores relaxem pode ser manter uma sala com café que ofereça breves momentos de descontração e até lanchinhos saudáveis com fácil acesso. Reuniões de brainstorming para troca de ideias também ajuda a compartilhar as angústias e dificuldades em alguma atividade. Essa pode ser uma excelente maneira de extravasar as preocupações e renovar as energias.   

Você já pensou em aprender exercícios de relaxamento e respiração? Eles também são úteis para manter o desempenho e aliviar o estresse.

5. Ser cobrado por funções e tarefas que não exerce

É ruim demais ser chamado na sala do responsável pela gestão de equipe para receber uma crítica que simplesmente não compete a esse colaborador. E isso é mais comum do que se pensa em empresas onde a divisão das tarefas não é clara. Pior ainda quando os setores não são integrados.

Você já ouviu o ditado popular ‘cachorro com dois donos morre de fome’? Ele pode ser aplicado aqui. Quando as responsabilidades não estão claras, além de cobranças excessivas e muitas vezes equivocadas, ainda surge o risco de que atividades importantes não sejam realizadas.

A alternativa aqui é ter um processo claro e utilizar tecnologia especializada na contabilidade. Assim, as atividades ficam claras, as áreas se conversam, o retrabalho é reduzido e o fluxo de trabalho torna-se um círculo virtuoso e colaborativo.

Os colaboradores saberão seus deveres e os gestores de quem cobrar cada tarefa. Isso elimina pontos sem controle que prejudicam o bom andamento dos serviços.

Refletir sobre cada uma dessas razões pode ajudar você a identificar pontos de melhoria que vão fazer muita diferença para seus colaboradores. E para seu escritório, contar com funcionários motivados como se fosse a primeira semana de trabalho também será muito bom!

Domínio Blog