O Fisco pode até prorrogar os prazos de algumas obrigações, mas não vai extinguir o dever dos contribuintes de realizar as entregas.

O fato é que, em tempos confusos, com muita informação circulando e também muita desinformação, um ponto essencial para os governos federais, estaduais e municipais é assegurar a rotina fiscal e tributária pronta para atuar, receber e processar os dados das empresas que mantêm as atividades em funcionamento.

O esforço para conservar a economia do país passa pela luta dos empresários, que precisam manter os seus negócios “respirando”, ainda que seja com a ajuda de aparelhos.

Nesse caso, incentivos e ajudas financeiras de várias ordens, para que economicamente seja viável prosseguir com uma empresa aberta no Brasil.

Há tantas batalhas acontecendo no país, que as áreas fiscal e tributária se tornam apenas mais uma frente que não cessa, não dá trégua, que vez ou outra posterga datas e vencimentos.

Tudo isso na tentativa de não parar a engrenagem, que move os setores das atividades primárias, secundárias e terciárias.

Prazos e vencimentos

Então, nesse cenário incerto e perigoso para os negócios, cabe aos empresários, contadores e gestores tributários deixarem a luz de alerta constantemente ligada, pois em meio a tantos decretos, leis, normativas, emendas e outras legislações de todas as ordens, não se pode esquecer das obrigações contábeis, fiscais e tributárias.

Prazos e vencimentos não param.

Por hora, eles podem ser alterados ou prorrogados, mas os contribuintes sabem que jamais serão esquecidos ou extintos.

Contar com um sistema fiscal tributário aderente, que ajuda a suportar, a gerenciar, a controlar os prazos e vencimentos, traz comodidade para as empresas passarem por esse problema sanitário, de maneira segura e com todo cuidado protocolar que o instante requer.

É fundamental, nesse momento, em que a saúde das pessoas está acima da saúde financeira das organizações, mas que não está contrária e desalinhada uma da outra, fazer a gestão de pagamentos, de recebimentos, dos prazos e dos vencimentos a serem entregues para o Fisco, com o apoio de um software capacitado, devidamente atualizado e que ofereça dados confiáveis e o suporte necessário para os usuários trabalharem.

Por Johney Laudelino da Silva, especialista em Gestão Tributária e na Solução Fiscal GUEPARDO da FH, empresa de tecnologia especializada em processos de negócios e software. É formado em Ciências Contábeis e possui MBA em Gerência Contábil pelo IBPEX.