A partir de quarta-feira (26), trabalhadores com carteira assinada poderão tomar empréstimo consignado em agências da Caixa Econômica Federal entregando como garantia parte de seu Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A instituição será o primeiro banco a ofertar esta linha em escala comercial, conforme o Ministério do Trabalho, mas outros bancos devem ter o recurso no futuro.

Os trabalhadores poderão dar  até 10% do saldo do fundo e a totalidade da multa de 40% em caso de demissão sem justa causa. A garantia será acionada caso o empregado seja demitido sem justa causa e o banco não tenha mais como descontar as parcelas do salário. Os juros serão de, no máximo, 3,5% ao mês, com prazo de pagamento de até 48 meses (quatro anos).

A expectativa é de que até 36,9 milhões de trabalhadores com carteira assinada tenham acesso à nova linha. A Caixa deve divulgar nesta quarta-feira (26) as regras para a contratação, mas a tendência é de que sejam as mesmas de outros consignados. Neste caso, o trabalhador interessado em acessar esta modalidade deverá contatar o departamento de Recursos Humanos de sua empresa e verificar se há convênio de consignação com a Caixa. Se houver, poderá negociar o empréstimo, mesmo que receba por outro banco.

Desde 2016, a Lei 13.313 previa o uso de parte do saldo do FGTS como garantia nas operações de crédito consignado. A modalidade, no entanto, não deslanchou porque a falta de regulamentação não trazia segurança para os bancos. No mês passado, foi feita uma nova regulamentação da modalidade, e a Caixa criou um sistema que permite realizar a reserva de valores da conta do FGTS como garantia ao consignado.

Entre os grandes bancos, o Santander já oferece o consignado com garantia do FGTS, mas em convênio com apenas três empresas. A expectativa é de aumentar as linhas com o lançamento do sistema da Caixa.

– Este empréstimo poderá ser vantajoso para quem pretende trocar uma dívida mais cara no cartão de crédito, por exemplo, mas deve ser usada com cautela, pois desfalcará o Fundo de Garantia em caso de demissão – avalia Miguel Ribeiro Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Veja como funcionará o empréstimo

Qual será o limite do FGTS que poderá ser dado como garantia?

Os trabalhadores podem dar como garantia até 10% do saldo da conta do FGTS e a totalidade da multa de 40% em caso de demissão sem justa causa. Ou seja, quem for demitido perderá a parte do seu Fundo usada como cobertura ao empréstimo.

Esta fatia do FGTS ficará inacessível na conta do trabalhador?

Sim, esses valores não podem ser utilizados até o fim do empréstimo para quitar financiamentos imobiliários, por exemplo. O valor reservado como garantia permanecerá na conta do FGTS do trabalhador, rendendo normalmente, até a quitação do empréstimo.

Quando o banco poderá acionar a garantia?

A garantia será usada caso o empregado seja demitido sem justa causa e o banco não tenha mais como descontar as parcelas do salário. Ou seja, até 10% do saldo FGTS da conta ficará com o banco para cobrir a dívida, além dos 40% da multa paga pelo empregador.

Qual será o juro máximo das operações?

As taxas não poderão ultrapassar 3,5% ao mês. Ainda são mais altas do que o consignado para servidores públicos, de até 1,75% ao mês. Entretanto, este percentual de 3,5% é menor do que o crédito direto ao consumidor (CDC), uma das modalidades mais comuns de empréstimo, que está em torno de 5% ao mês, conforme a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Qual será o prazo de pagamento para estes empréstimos?

O prazo máximo será de 48 meses.

Haverá valor máximo para empréstimo?

Os valores dependerão de quanto o trabalhador tem depositado na conta vinculada do FGTS. O banco terá a possibilidade de realizar uma consulta prévia para apurar a margem consignável de cada pessoa.

Quem poderá pedir o consignado?

Trabalhadores cujo empregador tenha um convênio com a Caixa (ou outro banco que eventualmente passe a oferecer esta linha no futuro) prevendo o empréstimo com desconto em folha – consulte a área de recursos humanos da empresa para saber. O empréstimo poderá ser contratado em qualquer agência da Caixa.

Este tipo de empréstimo é novo?

Não exatamente. A linha foi autorizada pelo Conselho Curador do FGTS em 2016, mas não estava sendo oferecida pelos bancos. Em agosto deste ano, o Ministério do Planejamento elaborou novas normas para destravar estes empréstimos, dando mais segurança às instituições financeiras.

Outros bancos poderão oferecer?

Sim. O Santander já oferece este consignado com desconto do FGTS em fase experimental para empregados de algumas empresas desde 2016. Já o Itaú-Unibanco afirma que está avaliando as adequações necessárias em seus sistemas para oferecer o produto. O Bradesco informou que pretende oferecer “em breve”. O Banco do Brasil avalia as regras e os ajustes operacionais necessários, especialmente, junto à Caixa.  A reportagem ainda aguarda posicionamento do Banrisul.  Com ClickRBS

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.