Saiba como emitir o DAS, boleto do Simples Nacional

0

Os proprietários de Microempresas (ME), Empresas de Pequeno Porte (EPP) ou até mesmo o Microempreendedor Individual (MEI), entendem a importância de manter a guia mensal do Simples Nacional em dia, isso porque, estes empreendedores sabem que o recolhimento dos tributos é essencial para se manter na legalidade junto à Receita Federal e evitar impasses no futuro. 

DAS

O Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS) se trata da guia mensal responsável pelo recolhimento dos tributos devidos pelas empresas enquadradas no regime tributário mencionado, de maneira que o pagamento deve ser efetuado até o dia 20 de cada mês. 

Como o próprio nome sugere, se trata de uma arrecadação elaborada no intuito de facilitar a rotina das micro, pequenos e médios empresários, recolhendo valores que são destinados ao município, ao Estado e à União. 

Considerando que se trata de um documento a cunho facilitador, o empresário não precisa se preocupar em fazer contas extensas e complexas, tendo em vista que os valores cobrados correspondem a taxas fixas que podem variar de R$ 52,25 a R$ 58,25, a depender se a empresa se enquadra no segmento comercial, industrial ou de prestação de serviços, no caso do MEI. 

Já as demais modalidades serão taxadas de acordo com o limite de faturamento e atividade exercida, os quais serão integrados a Anexos e faixas com valores específicos para a cobrança de cada imposto devido. 

DAS X DAS MEI 

É importante distinguir as modalidades do DAS, considerando que uma alternativa corresponde às micro e pequenas empresas que contribuem com base na atividade e faturamento, enquanto, o microempresário individual efetua a contribuição diante de taxas fixadas previamente conforme citado anteriormente.

Como gerar o boleto do Simples Nacional? 

Para gerar a guia DAS é preciso seguir alguns passos, como: 

  • Lá você poderá optar para acessar com o Certificado Digital ou com o Código de Acesso. Caso não possua nenhum dos dois será necessário gerar o código de acesso. 
  • Guarde o seu código de acesso com segurança, pois ele sempre será solicitado para realizar quase todas as operações dentro do sistema do Simples Nacional.
  • Quando já estiver com o código de acesso ou certificado digital, você deverá preencher os dados para efetuar o login no sistema. Os dados são: CNPJ de sua empresa, CPF do responsável e confirmação de segurança.
  • Quando acessar o sistema é só seguir os passos e emitir o seu boleto. É bastante intuitivo e simples e não se preocupe.
  • Após a confirmação, o boleto irá aparecer na tela e poderá ser impresso para pagamento em agências bancárias ou casas lotéricas ou por meio de internet banking, em computadores ou dispositivos móveis. Caso possua certificado digital o acesso será mais simples e a interface de emissão será a mesma.

Esta sequência também deve ser seguida caso o empresário deseja gerar a segunda via do boleto quando necessário. 

Como emitir o boleto do MEI? 

O DAS MEI ou a guia MEI se trata do documento usado para recolher os impostos atribuídos às atividades exercidas mediante a modalidade de Microempreendedor Individual (MEI).

Para emitir o DAS MEI: 

  • Clicar na opção “SERVIÇOS”, localizada em “JÁ SOU” à direita da página.
  • Feito isso, você deve clicar em “PAGUE SUA CONTRIBUIÇÃO MENSAL” e em seguida na opção “BOLETO DE PAGAMENTO”. 
  • Agora é o momento de digitar o seu CNPJ e em seguida os caracteres de segurança, com isso, irá acessar o sistema e o seu boleto será gerado.
  • Siga os passos e o imprima para efetuar o pagamento. Esses são os mesmos passos para gerar a segunda via do boleto, caso a primeira já esteja vencida.

Também é possível realizar o acesso diretamente pelo link https://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/Servicos/Grupo.aspx?grp=t&area=2 e buscar a opção de PGMEI – Programa Gerador do DAS para o MEI.

Como negociar débitos?

  • Para realizar a negociação de débitos pelo MEI, é preciso selecionar a opção “JÁ SOU” à direita da página inicial do Portal do Empreendedor e clicar em “SERVIÇO”. 
  • Em seguida escolha “PAGUE SUA CONTRIBUIÇÃO MENSAL” e por fim em “PARCELAMENTO”. 

Ambos os portais permitem a renegociação dos débitos de maneira ágil e simples, possibilitando também, a verificação dos valores já ajustados com os juros e correção monetária, bem como, todas as condições de pagamento. 

Após analisar com cautela, opte pela alternativa mais viável para a situação financeira presente, no intuito de evitar um novo débito junto à Receita Federal. 

No caso específico do MEI, se houver um novo atraso no pagamento, é possível que haja o desenquadramento do regime, além da cobrança do retroativo com base no faturamento. 

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Laura Alvarenga