Saiba como funciona o cálculo do Fator R do Simples Nacional

0

Sabemos que o Simples Nacional se trata de uma modalidade de regime tributário brasileiro, onde estão os principais impostos como ICMS voltado ao âmbito estadual e o ISS que é referente ao âmbito municipal.

Sendo assim, as empresas que aderiram a essa modalidade precisam encaminhar mensalmente à Receita Federal, as informações financeiras sobre o seu negócio, destacando ainda o recolhimento de tributos de acordo com os lucros adquiridos.

Esse cálculo é conhecido como Fator R, considerado extremamente necessário pois, a partir disso o empresário saberá em qual anexo do Simples Nacional ele será tributado no mês e não precisará pagar nada além dos impostos que são devidos. 

Apesar disso, muitos ainda tem dúvidas sobre como fazer o cálculo e como funciona o Fator R.

Para isso, confira algumas informações importantes que podem te ajudar a calcular da forma correta.

Para saber qual será sua tributação, é preciso saber que o Fator R se trata da divisão entre o valor da folha de pagamentos onde consta salário, FGTS e outros valores referentes ao período dos últimos 12 meses e o faturamento que foi obtido durante esta época.

Como exemplo, podemos citar uma empresa que tem faturamento de R$200 mil e que, durante 12 meses a folha de pagamento teve um custo de R$60 mil.

No cálculo, o fator R será 0,30 ou 30%. 

Tributação 

Um dos principais pontos que merecem atenção em um negócio são as obrigações tributárias e, por isso, o responsável precisa acompanhar de perto o cálculo do Fator R para que não sejam aplicados impostos desnecessários que poderá ser sentido pelo pequeno e médio negócio.

Também há casos em que o responsável não calcula o valor correto e deixa de pagar impostos necessários, sendo assim, ele poderá arcar com juros por atraso no pagamento e multa pelo recolhimento indevido.

Tenha em mente que as empresas prestadoras de serviços do Simples Nacional que obtiveram despesas abaixo a 28% da sua receita bruta total automaticamente serão tributadas pelo anexo V (alíquota inicial será de 15,5%).

Aquelas que tiveram despesas superiores a 28% do seu faturamento bruto, terão sua tributação no anexo III (a alíquota inicial de 6% apenas). 

Conheça a tabela do Simples Nacional:

simples nacional
Simples Nacional

Simples nacional – Anexo III

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaValor a deduzir
Até R$ 180.000,006%0
De R$ 180.000,01 a R$ 360.000,0011,2%R$ 9.360,00
De R$ 360.000,01 a R$ 720.000,0013,5%R$ 17.640,00
De R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000,0016%R$ 35.640,00
De R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000,0021%R$ 125.640,00
De R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000,0033%R$ 648.000,00

Simples Nacional – Anexo V

Receita Bruta Total em 12 mesesAlíquotaValor a deduzir
Até R$ 180.000,0015,5%0
De R$ 180.000,01 a R$ 360.000,0018%R$ 4.500,00
De R$ 360.000,01 a R$ 720.000,0019,5%R$ 9.900,00
De R$ 720.000,01 a R$ 1.800.000,0020,5%R$ 17.100,00
De R$ 1.800.000,01 a R$ 3.600.000,0023%R$ 62.100,00
De R$ 3.600.000,01 a R$ 4.800.000,0030,5%R$ 540.000,00

Conheça as atividades sujeitas aos Fator R:

  • Fisioterapia,
  • Arquitetura e urbanismo;
  • Medicina, inclusive laboratorial, 
  • Enfermagem;
  • Psicologia, 
  • Psicanálise e terapia ocupacional,
  • Acupuntura, 
  • Podologia, 
  • Fonoaudiologia, 
  • Clínicas de nutrição e de vacinação 
  • Bancos de leite
  • Odontologia e prótese dentária;
  • Administração 
  • Locação de imóveis de terceiros;
  • Academias,
  • Elaboração de programas de computadores, inclusive jogos eletrônicos, além de licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação
  • Planejamento, confecção, manutenção e atualização de páginas eletrônicas;
  • Empresas montadoras de estandes para feiras;
  • Laboratórios de análises clínicas;
  • Serviços de tomografia, diagnósticos médicos por imagem, 
  • Engenharia, além de medição, cartografia, topografia, testes, suporte e análises técnicas e tecnológicas, pesquisa, design, desenho e agronomia;
  • Medicina veterinária,
  • Serviços de comissaria, 
  • Despachantes, 
  • Representação comercial; 
  • Perícia, leilão e avaliação
  • Auditoria, 
  • Economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração; 
  • Jornalismo e publicidade 
  • Agenciamento

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Por Samara Arruda