Saiba como realizar o cálculo dos honorários do contador e manter os lucros

0

O empreendedor que preza pelo negócio próprio, irá averiguar os mais diversos aspectos do negócio, reunir custos e apurar a margem de lucro ideal para criar a tabela de preços.

Uma destas características estudadas se refere ao planejamento dos honorários do profissional contábil, sendo o primeiro passo para constituir um empreendimento rentável e lucrativo, o qual se sustente a longo prazo. 

Com qualquer serviço prestado, é preciso estabelecer quais valores serão cobrados com base nos custos gerados à empresa, visando a garantia de uma margem de lucro sem ser injusto com o cliente.

Apesar de o processo de definir preços ser uma especialidade dos contadores, nem sempre estes profissionais conseguem aplicar a mesma premissa no próprio trabalho.

Isso acontece devido à ampla possibilidade de prestação de serviços, bem como, a variedade de preços que podem ser atribuídos ao referido trabalho, tamanho da empresa, complexidade da atividade, entre outros fatores relevantes. 

No intuito de buscar um auxílio para esta questão, vários contadores procuram tabelas de referência em grandes entidades como sindicatos e conselhos.

No entanto, na prática o cenário é um pouco diferente, pois, não é responsabilidade dos Conselhos Regionais de Contabilidade, fixar os valores mínimos correspondentes à categoria, sem contar que, esta apuração pode não ser a melhor opção de acordo com a realidade. 

Isso acontece porque, cada empresa possui particularidades mediante os vários nichos mercadológicos que requer estratégias distintas.

Conforme o Código de Ética Profissional do Contabilista, o contador deve estabelecer o preço dos serviços de acordo com os critérios a seguir:

  • A relevância, complexidade, custos e a dificuldade do serviço a executar;
  • O tempo que será consumido para a realização do trabalho;
  • A possibilidade de ficar impedido da realização de outros serviços;
  • O resultado favorável ao contratante;
  • A peculiaridade de ser um cliente eventual, habitual ou permanente;
  • O local em que o serviço será prestado.

A pesquisa de mercado também é uma excelente alternativa para conhecer a média dos valores.

Contudo, é importante observar que, somente o profissional será capaz de calcular quanto vale o serviço prestado por ele.

Sendo assim, a melhor opção observada é estabelecer a própria tabela de honorários

Custos na definição dos honorários

Antes de definir uma tabela de honorários, é preciso saber quais são os custos envolvidos nesta atividade.

Afinal, é importante conhecer os gastos necessários para a manutenção da empresa, tendo em vista que, este montante será subtraído por toda a receita.

Vale destacar que os gastos vão muito além do setor financeiro, envolvendo também, os recursos humanos e intangíveis.

Saiba como calcular corretamente os custos sem se basear somente es estatísticas. 

Tempo de Execução

Se tratando do setor de serviços, a premissa “tempo é dinheiro” é válida ao estabelecer a tabela de preços.

Isso porque, as horas aplicadas na execução do trabalho proposto se tratam do recurso mais valioso deste profissional, requerendo uma gerência minuciosa para assegurar a sustentabilidade do negócio.

Sendo assim, apenas o envolvido principal pode determinar o tempo e esforço direcionados à cada atividade e cliente para propor valores justos e, não apenas com base no volume e complexidade do exercício. 

Primeiramente, defina a quantidade de horas a serem vendidas e as multiplique pelos dias úteis do mês.

Por exemplo, se o mês tiver 22 dias úteis diante 7,5 horas diárias de trabalho, já contando o tempo de ociosidade, no período mensal, serão computadas 165 horas por funcionários.

Há casos em que determinado cliente pode obter um pacote de serviço mais simples, mas que, requer um acompanhamento constante e específico.

Esta atenção à parte, ocupa horas de descanso através de telefonemas, visitas e análises de relatórios. 

Custos com a equipe

Após saber o tempo dedicado pela empresa a cada cliente, também será necessário apurar o custo por hora de cada funcionário da empresa.

Portanto, basta somar o custo total do empregado considerando a remuneração mensal, férias, 13º salário, FGTS, INSS benefícios, etc.

Este valor deve ser dividido pelo tempo real imposto ao exercício calculado no item acima. 

No exemplo do funcionário que, no total, apresenta um custo de R$ 4 mil mensais mediante 165 horas de trabalho ao mês, o custo para a empresa é de R$ 24 a hora.

Neste sentido, será possível descobrir o valor por hora de trabalho de cada colaborador, possibilitando a execução do cálculo perante a demanda exata pelos recursos humanos dos clientes. 

Custos por cliente para cada hora trabalhada 

Após se inteirar sobre os custos do honorário do colaborador, basta apurar quantas horas serão delegadas para a realização de determinado serviço para um cliente, com o objetivo de descobrir o real valor a ser cobrado.

No exemplo de um funcionário que tem um custo de R$ 24,00 a hora e, dedica 15 horas por mês a uma conta específica, isso quer dizer que, o cliente em potencial tem um custo de R$ 360,00 para a empresa.

Portanto, para que a execução deste serviço compense, é preciso receber um valor bem maior do que esse. 

A necessidade de basear o cálculo no custo da hora de trabalho para estabelecer um preço superior é nítida, tendo em vista o intuito de obter uma margem de lucro adequada, considerando também os impostos devidos.

Visando assegurar a apresentação adequada de todos os valores para o cliente mediante o orçamento, pode ser viável recorrer à uma planilha de custos de serviço. 

Gastos integrais 

Tanto os gastos fixos e variáveis de um serviço precisam integrar o cálculo de honorários gerais do contador.

Os custos fixos se tratam daqueles que não sofrem nenhuma alteração no valor, enquanto as variáveis são impactados pela intensidade das demandas de cada atividade. 

Bons exemplos de despesas fixas são o aluguel do escritório, serviços de limpeza e conservação, salários dos colaboradores, aluguéis de equipamentos, segurança, entre outros.

Já as variáveis correspondem a materiais de escritórios, comissões, tributos e contas de consumo. 

Após estabelecer um valor total, é imprescindível que este seja distribuído proporcionalmente entre os clientes, com base no tempo e complexidade das atividades ofertadas a cada um. 

Margem de lucro no planejamento dos honorários

Conhecendo os custos que devem ser deduzidos da receita, agora, é preciso garantir uma margem de lucro perante o plano de honorários do contador.

Isso porque, uma empresa não pode viver somente de pagar as despesas, também é preciso agregar lucro e valor perante o mercado. 

Conheça algumas alternativas de cálculo para encontrar a margem mais viável:

Padrões de mercado

Uma das maneiras mais simplificadas para estabelecer a margem de lucro é através dos parâmetros do mercado, conforme orientações de especialistas.

De acordo com o Sebrae, os empreendimentos do setor de serviços devem prever uma margem de lucro aproximada de 20%, enquanto no nicho comercial, o percentual é reduzido para apenas 4%.

Conheça o cálculo básico: 

Margem de lucro = lucro / receita x 100

Sendo assim, se haver um faturamento em torno de R$ 45 mil e, no final, restar R$ 10 mil após a dedução de todos os custos, isso quer dizer que, a margem de lucro é de 22%.

Tecnicamente, este é um ótimo resultado.

Em contrapartida, caso os índices obtidos se apresentem muito inferiores à média prevista, pode ser necessário reformular alguns processos, elevar os preços ou reduzir custos. 

Retorno previsto

Ao programar os honorários do contador, é importante que a margem de lucro se baseie no retorno previsto quando houve o investimento no negócio.

Para obter este resultado, antes, é necessário apurar a rentabilidade do empreendimento, que se trata justamente da análise de retorno sobre o investimento (ROI). Sendo assim, basta aplicar a seguinte fórmula:

Rentabilidade = lucro líquido x 100 / Investimento

Partindo do ponto em que houve um investimento no valor de R$ 50 mil para viabilizar o escritório e, posteriormente foi obtido R$ 5 mil de lucro durante determinado período, isso quer dizer que, a rentabilidade foi de 10%.

Se este padrão for mantido, será possível receber 10% do valor investido ao mês, possibilitando uma recuperação total dentro de dez meses.

Portanto, basta investir na manutenção correta da margem de lucro adequada para atingir a meta. 

Conhecer a concorrência

É possível que o planejamento de honorários do contador considere a atuação da concorrência para definir a margem de lucro.

Sendo assim, pode ser bom realizar uma pesquisa sobre quais os valore cobrados nos concorrentes de maior destaque, para que se faça uma estimativa real e cruzamento de dados para chegar a um resultado adequado.

Dica Extra: Já imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Conheça um dos programas mais completos do mercado que vai te ensinar tudo que um contador precisa saber no seu dia a dia contábil, como: Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa de Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil.

Conteúdo Original ContaAzul adaptado por Laura Alvarenga para o Jornal Contábi