Contabilidade Consultiva

Muitas vezes as práticas do dia a dia, o excesso de burocracia e as limitações do mercado, afastam de algumas categorias profissionais a essência de sua profissão. Nas mais variadas áreas do conhecimento é possível identificar essa situação, na qual o especialista é tomado pela atuação em demandas mecânicas e operacionais em detrimento de uma aplicação mais relevante de sua ciência de ofício.

Essa descaracterização constante em algumas categorias profissionais resulta em tentativas de resgatar o cerne das profissões como forma de reinserir no mercado a excelência e o resultado de práticas deixadas de lado. Por vezes, é comum que um novo nome seja criado, como forma de chamar a atenção e trazer à tona o real sentido do antigo.

Assim surge a contabilidade consultiva, como uma ressignificação do que a palavra “contabilidade” se tornou aos olhos do senso comum. Mas, também, como uma nova formatação de serviço mais adequada às dinâmicas atuais do mercado.

contabilidade consultiva, nada mais é do que a contabilidade na raiz do conhecimento científico que representa, imbuída de toda a sua força bruta operacional, mas também de toda sua inteligência, capacidade de interpretação e papel estratégico em prol das empresas, da sociedade e da economia.

Saiba mais sobre essa nova tendência de mercado e como ela pode ajudar a sua empresa a adquirir estabilidade e saúde financeira.

Operacional e estratégia no mesmo pacote

No Brasil existe uma cultura empresarial ainda incipiente, pouco madura, principalmente entre pequenos e médios empresários, que enxerga o papel da contabilidade na sua empresa apenas como uma questão fiscal, tributária, meramente burocrática e operacional.

É inquestionável o papel que o “trabalho bruto” do contador representa para toda a existência, legalidade e funcionamento de qualquer empresa. Escrituração, balancete, livros contábeis, fluxo de caixa, folhas de pagamento e inúmeras outras obrigações não podem ser negligenciadas afinal, é quando este trabalho está concluído é que inicia a segunda metade fundamental do papel do contador: a interpretação e a estratégia.

A contabilidade consultiva vem para relembrar todo o aporte teórico e metodológico que um profissional contábil possui e que, na verdade, é o que tem maior potencial de fazer diferença em uma empresa, prevenindo situações de risco através da interpretação dos números e propondo medidas que beneficiem a situação financeira do negócio.

O serviço burocrático da contabilidade é obrigatório em qualquer empresa, porém nem todo empresário está disposto a pagar o alto valor relativo a esta consultoria, que exige disciplina e confiança. A contabilidade consultiva, ao unificar ambos os serviços, oferece o burocrático continuamente e dilui, nesse custo mensal, o valor da consultoria, que atua de forma mais pontual.

A burocracia dificulta, mas a tecnologia ajuda

O desenvolvimento tecnológico veio como um alívio providencial, uma vitamina que permite que a hiper-burocratização instituída pelo Estado não se torne algo tão nocivo à saúde financeira dos negócios.

A informatização dos programas tributários e mesmo o desenvolvimento de sistemas para gestão de empresas se tornaram ferramentas que prestam agilidade e promovem níveis de integração à grande demanda de trabalho contábil. A padronização destes programas e sistemas previnem a ocorrência de erros, economizando o tempo e a energia gastos em correções.

Esse “desafogamento” implementado pelos recursos tecnológicos foi o que permitiu que a figura do contador conseguisse conciliar as obrigações de rotina das empresas, como tempo necessário para “pensar a empresa” através da interpretação, do cruzamento de dados e da aplicação do verdadeiro conhecimento contábil.

Contabilidade: a ciência da riqueza

O notável escritor contabilista Antônio Lopes de Sá costumava dizer que a contabilidade é a “ciência da riqueza e da prosperidade”, afinal, o antigo professor já sabia que o papel deste profissional dentro de uma empresa deveria ir muito além do que gerar guias fiscais para a União.

A contabilidade consultiva exige proximidade do contador com a empresa, diálogo deste profissional com os proprietários e gestores, afinal é preciso entender os processos e saber com detalhes sobre as operações da empresa para analisar os números dentro de um contexto específico.

Existindo a confiança dos gestores no conhecimento do profissional e nas práticas desta ciência, a contabilidade consultiva certamente será o ponto de guinada de qualquer empresa, melhorando as que já estão bem e reerguendo as que passam por maus momentos.

Via Multi Contabilidade

Comente no Facebook

Comentários