Salário mínimo pode elevar teto do INSS a R$ 6.843

A correção do salário mínimo tem como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O salário mínimo segundo proposta do governo enviada ao Congresso Nacional, deverá subir de R$ 1.100 para R$ 1.169 que começará a valer em 2022. O aumento no piso muda os valores dos benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), inclusive no valor do teto.

Como se trata de uma proposta, o valor poderá mudar, principalmente pela alta nos números da inflação. A correção do salário mínimo tem como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Mesmo a inflação estando perto dos dois dígitos, o cálculo do novo salário considerou apenas a média de 6,2% (sendo assim, até dezembro o salário pode ter seu valor novamente alterado). Até o momento o valor passará de R$ 1.100 para R$ 1.169.

Aumento da aposentadoria

Como falamos, o salário mínimo mudando o seu valor interfere diretamente nos benefícios do INSS, como os abonos e os auxílios e aposentadorias.

A Constituição diz que um beneficiário do INSS não pode receber um valor abaixo do salário mínimo. Sendo assim serão reajustados os benefícios com valor de um salário mínimo como também os benefícios com valores maiores.

Quem recebe o valor do teto do Instituto Nacional do Seguro Social vai receber a partir do ano que vem R$ 6.843,07 (lembrando que este valor pode mudar). Isso porque a inflação definitiva do INPC só será divulgada em janeiro do próximo ano, período em que a confirmação da correção é finalmente apresentada.

Vamos imaginar que em 2022 que os salários do INSS fiquem desta forma:

Mínimo passe de R$ 1.100 para R$ 1.169;
Médio aumenta de R$ de 3.500 para R$ 3.717;
Teto vai de R$ 6.443,57 para R$ 6.843,07.

Os últimos reajustes concedidos pelo Governo Federal foram:

  • 2016: 11,6% (R$ 880)
  • 2017: 6,48% (R$ 937)
  • 2018: 1,81% (R$ 954)
  • 2019: 4,61% (R$ 998)
  • 2020: 4,7% (R$ 1.045)
  • 2021: 5,22% (R$ 1.100).

Comentários estão fechados.