Salário mínimo será maior em alguns estados brasileiros

Pelo menos 5 estados do país terão um salário mínimo superior ao piso decretado pelo Governo Federal em 2022. 

O salário mínimo é reajustado anualmente conforme o acúmulo da inflação atingido no ano anterior. Em 2022, o Governo Federal decretou um piso nacional de R$ 1.212, isto com base na taxa inflacionária medida pelo INPC, que por sua vez, fechou em 10,18%. 

Grande parte dos estados brasileiros seguiram este valor do salário mínimo nacional para 2022. Contudo, ainda há localidades do país que determinam o próprio piso. Isto é permitido, desde que seja superior à base salarial determinada pelo governo. 

Sendo assim, alguns estados brasileiros já contam ou terão um salário mínimo superior ao piso nacional determinado pelo Executivo, ou seja, maior que R$ 1.212. 

Estados com o piso superior ao salário mínimo nacional

Em resumo, pelo menos 5 estados brasileiros definiram seus próprios pisos, sendo 2 integrantes da região sudeste e 3 do sul do país, são eles: 

  • Rio de Janeiro (sudeste); 
  • São Paulo (sudeste); 
  • Rio Grande do Sul (sul); 
  • Santa Catarina (sul); 
  • Paraná (sul). 

No dos demais 21 estados do país é adotado o valor de R$ 1.212 determinado pelo Governo Federal para 2022. 

De todo modo, confira como se desdobra o salário mínimo dos 5 estados não vão seguir o mesmo valor do piso nacional: 

Estado Salário mínimo em 2022
Rio de Janeiro Ainda sem definição, todavia, as faixas de rendimento que vigoram são as adotadas em 2019, que estão entre R$ 1.238,11 e R$ 3.158,96
São PauloAté então, os valores adotados seguem os mesmos de 2019. Estando entre R$ 1.163,55 a R$ 1.183,33. O piso definitivo deve ser estabelecido em abril de 2022
Rio Grande do SulValor definido entre R$ 1.305,56 e R$ 1.654,50, conforme o reajuste de dezembro de 2021. 
Santa CatarinaReajuste programado para março, de modo que passarão a valer os seguintes valores R$ 1.416, R$ 1.468, R$ 1.551 e R$ 1.621.
ParanáEm 2022, a base salarial paranaense deve estar entre R$ 1.467,40 a R$ 1.696,20. O reajuste definitivo será efetuado ainda em março. 

Comentários estão fechados.