Com a chegada do fim de ano, milhares de brasileiros estão de olho na segunda parcela do 2019. Um saque extra será autorizado pelo Governo Federal com o objetivo de estimular a economia do país. A Econômica Federal, responsável pelos pagamentos, está elaborando o cronograma.

Há alguns meses, uma Medida Provisória (MP) autorizou o saque de parte do por Tempo de Serviço, mas limitou o valor à R$500. No entanto, o Congresso Nacional resolveu alterar a proposta e aumentou o valor da cota para R$998,00, válida para contas ativas e inativas do .

Com a nova medida, a Econômica Federal espera injetar R$3 bilhões na economia brasileira.

Como vai funcionar o saque da segunda parcela do ?

A nova regra criada pela MP beneficia os trabalhadores de baixa renda, ou seja, aqueles que tem até um salário mínimo nas contas do . Os trabalhadores com saldo superior a esse continuam com o saque limitado a R$500,00.

Por mais que exista uma limitação de renda, a garantiu que muitos cidadãos serão beneficiados com a alteração na regra. De acordo com a instituição financeira, os pagamentos ocorrerão ainda neste ano.

Resumindo, o saque que antes era de R$500,00 vai passar para R$998,00. A medida vale para os trabalhadores que tem até um salário mínimo de saldo na conta do fundo, acumulado até o dia 24 de julho. O calendário de saques continua o mesmo, ou seja, segue a data de aniversário do trabalhador.

O que acontece com quem já retirou?

Quem já retirou o vai poder sacar o restante, portanto, será uma segunda parcela do para complementar a primeira. Veja um exemplo prático a seguir:

“Joana tem R$998 na conta do fundo. Ela faz aniversário no dia 11 de fevereiro, portanto, pôde sacar R$500 reais do seu . Com a nova MP, Joana se enquadra nos critérios do saque extra do . Ela poderá obter o restante do para reforçar o orçamento, ou seja, R$498”.

Para quem tem conta poupança na , o valor da diferença será depositado automaticamente. No caso das pessoas com conta corrente, é necessário solicitar o depósito. Já os trabalhadores que não são correntistas terão que procurar agências do banco ou lotéricas para receber a diferença.

Ainda será definido o cronograma para pagamentos da diferença do saque imediato do . De qualquer forma, a garantiu que os valores restantes serão depositados ainda neste ano.

É importante destacar que a Econômica Federal não pode cobrar tarifas para movimentações do . Além disso, os trabalhadores diagnosticados com doenças raras, ou os seus dependentes, podem sacar todo o fundo.

O prazo final para receber a segunda parcela do é 31 de março de 2020. Quem não sacar o até a data limite continua com o parado na conta do .

Sobre as mudanças no

Além autorizar o aumento do valor do saque do , a Econômica Federal também fez mudanças na taxa de administração. Até o final de 2019, o valor é de 1%, mas a partir do ano que vem, ela passa a ser de 0,5%. Com isso, o banco perderá uma receita de aproximadamente R$2,5 bilhões.

Hoje, o saldo total das contas do é de R$529 bilhões. Com as mudanças no valor do saque imediato, a economia brasileira será beneficiada não com R$40 bilhões como era previsto anteriormente, mas sim com R$43 bilhões.

Para r o extrato do fundo, basta baixar o aplicativo, disponível para Android e iOS. Também é possível verificar o saldo no site da Caixa, por mensagem SMS e no internet banking.

Caso você ainda tenha dúvidas com relação ao saque extra do , entre em contato com a Central de Atendimento da Econômica Federal. O telefone é 0800 726 0207.

Conteúdo originalmente criado por INSS.BLOG.BR